Não é bem o que parece ser.

28 de outubro de 2009

Texto para PostIt 
 Tema: Transtornos alimentares

É difícil falar de um assunto tão polêmico atualmente sem ter ao menos o vivenciado. Tudo o que não vivemos parece ser fácil. A depressão, por exemplo, eu vivenciei e sei o quão difícil é explicar para alguém como eu me sentia.

Transtornos alimentares não abrangem somente a anorexia e a bulimia, mas também a obesidade, porém, prefiro me focar nos dois primeiros.

Assim como eu citei em um outro texto meu, a mídia vem tomando cada vez mais a cabeça das pessoas, transmitindo assim, um padrão a ser seguido. Acontece que nem todas essas pessoas interpretam isso de forma saudável, principalmente os mais jovens, os quais ainda estão em processo de desenvolvimento mental (assim digamos).

Essas "doenças" não estão somente ligadas à questões físicas, mas também psicológicas. Tudo o que gira em torno de alguém com esses transtornos, principalmente imagens de seus ideais, faz com que essa pessoa se sinta cada vez pior, porém, de forma exagerada.

É normal, ao assistirmos televisão, nos depararmos com algum ator, atriz, cantor, modelo, que transmita uma imagem da qual gostaríamos de ter, mas tudo tem um limite. Temos de nos aceitar como somos.

Há vinte anos atrás, as modelos, por exemplo, não eram tão magras como as de hoje em dia e eram consideradas pessoas lindas. Por que, atualmente, uma mulher precisa ser magérrima para se encaixar no padrão que a sociedade lhe impõe? Eu, particularmente, não ligo muito para isso.

É realmente triste vermos pessoas - principalmente meninas - morrendo por causa de uma coisa que poderia ter sido evitada, mas o que podemos fazer? As atitudes de um ser humano dependem muito mais dele próprio do que do próximo.

Em minha opinião, a culpa não é de quem sofre, mas sim, de quem os faz sofrer. Não só a mídia, mas também as palavras de um pai ao ver uma modelo na Tv... "Olhá lá, filha. Para de comer tanto pra ver se emagrece e aparece lá um dia, no lugar dela (...)" Isso é humano?

Pois é, parece que a sociedade só tende a decair com o passar dos anos. Cada minuto que se passa significa um pedaço de bolo deixado de lado ou um vômito provocado. Aonde será que iremos parar?



Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

2 comentário (s)