Passou tão rápido.

5 de novembro de 2009

Sabe, nunca achei que fosse escrever um texto assim. Muitas coisas que acontecem em nossas vidas e que consideramos "normais", podem parecer normais para sempre. Porém, algumas outras mudam e nos fazem parar para pensar.
Nunca pensei que uma pessoa que pode não ter sido tão grudado comigo durante a infância, mas participou dela, pudesse um dia estar prestes a tomar uma grande decisão em sua vida: prestar o tão temido, quiçá tão esperado, vestibular.
É realmente estranho ver uma pessoa com a qual você brincava no meio da rua virar um... adulto! Pois é, o tempo passou rápido mesmo! Sinto muita falta da época que a gente saia de roupa de praia no meio da rua, com shampoo no cabelo pra dançar pop hahaha! E das vezes que a gente alugava milhares de filmes e ficava a tarde inteirinha assistindo todos - e lá se ía toda a pipoca do armário. Tardes jogando jogos de tabuleiro, conversando na rede, tirando foto, saindo pra passear... E quando a gente acordava cedo pra ir à praia? Eram umas quinze pessoas andando pela casa apressadas, amarrando canga, pegando cadeira e aquele imenso cheiro de protetor solar que invadia o ambiente! Depois, todos se esmagavam pra caber no carro. Era um tal de irmãos no porta-malas, tias no teto, tios no porta-luvas... E as festas? Música chata, tios tocando samba no quintal, galera desconhecida entrando em casa pra pegar "cumída". O pessoal todo assistindo novela das oito pela janela porque não cabia mais ninguém dentro da sala... Sinto falta!
São momentos que ainda não acabaram - as próximas férias que o diga!
Agora as pessoas estão crescendo, tomando rumo em suas vidas, deixando de ser adolescentes e tornando-se adultos. E sabe o que é mais legal? É que eu tenho certeza de que, por mais que se passe vinte anos, continuaremos jogando queimada no meio da rua e rindo a tarde inteira.

Esse texto foi para meu amigo Cássio, que vai prestar vestibular daqui a dois dias. Estamos torcendo muito para que tudo dê certo na sua vidinha e queremos do fundo dos nossos corações que você seja muito, mas muito feliz mesmo!
Te amamos demais,

Primeiramente Manie, que ficou duas horas escrevendo esse texto.
Depois vem a tia, o tio e o Gugu. Ah... e o Bob também.

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

3 comentário (s)