Um amigo desconhecido.

12 de novembro de 2009


Escrever faz parte da vida de todo mundo. Você pode não ter um amigo quando precisa, mas tem um pedaço de papel que está sempre prestes a lhe ouvir... e vou te contar um segredo: ele nunca cansa de saber dos seus problemas ou alegrias e jamais - repito, jamais - te critica pelos seus atos - sejam certos ou errados. Até porque, quando queremos cuspir palavras, principalmente quando estamos tristes ou aborrecidos, não gostamos de ser contrariados.

Muitas vezes acabamos fazendo alguém ficar triste quando precisamos urgentemente jogar para fora o que nos impede de viver alegremente. E eis que surge mais um segredo: o papel nunca fica triste, quaisquer que sejam os seus sentimentos... rancorosos ou não.

Você pode perder amigos, parentes, animais de estimação - que muitas vezes nos fazem companhia -, porém, nunca perderá o papel, seja ele uma folha de caderno, uma sulfite ou até mesmo um pedaço de guardanapo.

Em qualquer lugar, a qualquer hora, em qualquer situação: o papel não tem lições para fazer, nem trabalhos a cumprir. Nenhuma viagem te afastará dele e nenhum relógio marcará o tempo de espera por um. O papel não tem filhos, nem contas para pagar.

Muitas vezes ele esteve comigo, em momentos felizes ou infelizes e aí vem mais um segredinho: posso ter certeza de que nada do que lhe contei atingirá os ouvidos de qualquer outra pessoa...

... Pois é, além de tudo o papel é fiel.

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

3 comentário (s)