Um caso a ser pensado.

10 de janeiro de 2010

Texto para Blorkutando
Tema: Jovem e Consumista

Consumo e consumismo são palavras parecidas, porém, seus significados são muito diferentes. Comprar o supérfluo vai além de obter o necessário, mas hoje em dia isso já não parece mais ter importância. Cada vez mais, as pessoas se deixam levar pelo consumismo absurdo, sempre em busca de lançamentos e coisas caras as quais, na maioria das vezes, não farão a menor diferença na vida delas, exceto pelo prazer de simplesmente comprar e saber que comprou (e, muitas vezes, mostrar aos outros o que obteve).

O que está se tornando mais claro a cada dia que passa é o consumismo entre os jovens. Celulares, MP-mil e seja lá o que comprem, podem ser necessários como também podem ser considerados um material desnecessário. Outro fato marcante dentro do consumismo são as crianças cada vez mais... adultas. Muitas delas não desejam comprar brinquedos, mas sim objetos de valor ou, até mesmo, roupas, o que era considerado "chato" por elas mesmas há alguns anos atrás.

Apesar de sabermos que o consumismo é um mal, todos temos um pé dentro desse assunto. Quem nunca quis uma câmera ou um simples dvd? Ninguém pode negar que já sonhou em ter um produto do outro lado da vitrine de uma loja. Porém, em certos casos, quando isso é incontrolável, pode ser outra coisa. Essa ''outra coisa'' é chamada oneomania. Trata-se de um distúrbio psicológico, onde o consumo supérfluo é visto como uma necessidade, muitas vezes passando por cima de pagamentos básicos, como por exemplo, uma simples conta de luz ou telefone. Portanto, assim como todo distúrbio psicológico, o indivíduo que sofre disso deve procurar um especialista no assunto. Lembrando que isso é muito comum em jovens, que cada vez mais se entregam ao consumo exagerado.

Por fim, devemos saber de uma grande importância em nossas vidas: não somos o que compramos, nem o que vestimos. Uma Tv de plasma ou um celular de última geração não interfere no nosso caráter, pois ele sim é o que realmente importa quando chamamos alguém de amigo.


Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

4 comentário (s)