Uma vida mais tumultuada ainda.

10 de fevereiro de 2010


Hoje choveu o dia inteiro e por isso o verão tornou-se mais brando por aqui. Disseram-me que os relógios marcaram 48º na semana passada pela cidade inteira. É, sou muito fraca para o verão, infelizmente.

A minha vida fora das férias é totalmente diferente. Às vezes eu penso que deveria aproveitar mais essa época, a tão relembrada pelos meus pais com tanta nostalgia. Sabe, sair mais, me divertir, ir ao cinema, dormir na grama da praia ou até mesmo visitar todos os meus amigos quando eu bem entendesse. Eu fico confusa por ter escolhido uma vida tão tumultuada para viver durante esses anos, aos 15 anos de idade, enquanto eu poderia estar fazendo minhas aulas de teclado, desenho, talvez teatro... e o inglês que, depois de três anos, eu tive que ''abandonar'' durante esse semestre. De vez em quando eu gostaria de ser como qualquer outra pessoa da minha idade, livre.

Tem dias que eu chego da escola esgotada, principalmente nesse calor. Ônibus lotado, fome. Minha mochila é mais pesada que eu, mas acho que o peso das minhas obrigações equivalem a um número muito maior ao meu material escolar. Isso pesa demais, sério.
Talvez eu comece a trabalhar dentro de um dos correios daqui de Santos e acho que vai ser legal. Vou ganhar o meu próprio dinheiro, ajudar no que puder aqui em casa e guardar um pouco para mim. Como não vou ter muito tempo pra gastá-lo, vou economizando e no final das contas eu vejo o que faço com ele.
Sei que pode parecer loucura minha estar me botando numa nova obrigação cansativa, mas acho que vai ser bom pra mim. E, se não for, é só sair. O que vale é a experiência e um diploma feliz de auxiliar administrativo. Pode não valer para o meu ramo profissional no futuro, mas qualquer coisa a mais no curriculo me abrirá várias portas, mais facilmente.

Espero que eu tenha feito uma boa escolha e, espero também, que eu saiba conciliar tudo isso para que eu não entre em desespero e jogue tudo para o alto.

Ah, claro, espero que o meu esforço sirva para alguma coisa no futuro e não seja em vão.

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

2 comentário (s)