If life ain't just a joke...

5 de março de 2010

... Then why are we laughing?

Em meu solitário refúgio,
bebendo a última gota do café,
dei-me por imaginar
sobre o possível mais temido caso que existe.
Foi durante a viagem
que pensei
o quanto nada faria sentido
sem as folhas de caderno em branco,
sem as notas musicais ouvir,
sem o cheiro da manhã sentir,
sem as folhas secas para pisar,
sem motivos para sorrir,
sem motivos para chorar.
Um imenso vazio seria
se não pudesse acordar,
abraçar,
sorrir,
correr,
pular,
dançar sob a chuva,
assoviar - ou tentar -,
Sem meus óculos sobre a mesa,
sem meus sapatos no chão,
sem o cobertor jogado no sofá,
sem filmes para viver,
sem raros livros para sonhar.
Seria triste,
um tanto mórbido,
assim como a própria morbidez
que o triste e mórbido caso carrega consigo.
Dormir me conforta,
faz-me fugir dos dias não tão bons,
mas não,
não para sempre,
não por toda a eternidade,
não agora,
nem nunca.

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

2 comentário (s)