Agradeça-me.

21 de junho de 2010

Sinto como se estivesse congelando por dentro.
Minhas veias transportam o ódio que você despejou dentro de mim.
Meu sorriso estampa a vergonha de um dia ter te amado.
Meus olhos despejam toda a tristeza que esses dias ao seu lado me proporcionaram.
Minhas unhas crescem afiadas como a estaca com a qual você perfurou o meu coração.
Minha voz soa rouca como o sino enferrujado da Igreja, ao anunciar o funeral.
O funeral...
O seu funeral.



Agradeça-me.

talvez você também goste:

6 comentário (s)

  1. uau, que profundo, mas curti muito...

    Bjs =)

    ResponderExcluir
  2. Ah, não se mexe com uma mulher numa fase assim, fase profunda de ódio por ter acreditado naquele relacionamento, realmente tudo que queremos é o funeral do maldito, eles não merecem morrer mas despoluiria o ar, seria um alivio para o mundo ficar livres de todos os babacas que estão por ai chateando as mulheres com relacionamentos falsos e poucos duráveis.

    ResponderExcluir
  3. Essas palavras rancorosas doeram até em mim... Beijo

    ResponderExcluir
  4. Amei, vou postar no meu blog com os créditos e com o link do seu blog :)

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir