• TOP Blorkutando - 9ª Edição

30 de agosto de 2010

Entrevista que eu dei para o Blorkutando, há algum tempinho atrás.

1- Primeiramente, quem é Manie?

M: A Manie tem 16 anos e mora em Santos, com os pais, o irmão e o cachorro. Gosta de tocar piano, estudar história, abraçar os amigos e ama escrever. Sorri com coisinhas simples e gosta de fazer os outros sorrirem também. Segundo seus amigos, Manie é ''inteligente, fofinha e apertável''. Sonha alto demais, mas até então, isso não é nenhum crime.

2- De onde surgiu a idéia de criar um blog?
M: Eu sempre amei escrever, do fundo do coração. Assim que construí grandes amizades através da internet, pude perceber que minha imaginação também poderia encontrar outras imaginações por esse mundinho virtual. Desde então, todos os textos, antes guardados em gavetas, voaram por essa modernidade chamada "blog".

3- Como foi à escolha do nome?
M: Confesso que não gosto de títulos em outros idiomas. Gosto muito da língua portuguesa e achei que seria interessante algo simples e fácil de lembrar. Comecei a procurar objetos e transportá-los para o diminutivo. Foi quando sussurrei "pedrinha". Quanto aos hífens, fui obrigada a utilizá-los, porque já existia um blog abandonado (tsc tsc) com o mesmo nome.

4- Qual assunto você mais gosta de escrever?

M: Sabe, isso depende do meu humor. Tem dias que eu estou inspirada para escrever sobre felicidade. Já em outros, me sinto inteligente e informada o suficiente pra treinar de ser jornalista e escrever sobre temas polêmicos. Mas também têm dias que eu só tenho vontade de jogar minhas aflições/stress/raivinha no papel, daí meus textos meio tristinhos e exagerados.

5- Qual a pior gafe no mundo dos blogs?
M: Plágio. Acho que um ser incapaz de criar seus próprios textos, não tem o direito de clicar em algo como "criar um blog".

6- Qual o pior assunto para se ler em blogs?
M: Eu até gosto de ler alguns ''blogs diários". Já li livros com esse tema, porém... fala sério, acho que para alguém ter a iniciativa de escrever sobre o seu dia-a-dia, essa rotina deve ser, no mínimo, interessante. Afinal, ninguém está afim de ler como foi seu dia normal na escola, ou o seu dia normal na padaria, ou o seu dia normal no hospital, ou o seu dia normal assistindo Todo mundo odeia o Chris...

7- Autor de livros e obra admirável em sua opinião?
M: Sou apaixonada por Lemony Snicket e por cada palavrinha que sai de sua mente criativa. Acho que sempre terei uma "obra favorita" e, recentemente, tive a sorte de ler "Ternura para sorrir e chorar", um livro de contos de uma escritora argentina chamada Poldy Bird.

8- Todo mundo tem uma música favorita ou banda, qual o papel da música nos textos que você escreve?

M: Eu fui criada numa pequena partitura. Meu avô é violonista e eu não tardei a começar as aulas de piano. Por isso, a música é uma das minhas maiores inspirações. Muitas vezes, quando me faltaram amigos, foram músicas que me fizeram erguer a cabeça. E, por exemplo, quando eu escrevo um texto triste, uma música lenta ajuda no desenvolvimento da escrita.

9- O que você pensa desta nova mania de falar mal de tudo o que está na moda, as chamas "modinhas"?

M: Acho inútil. Sério. Eu não sigo nenhuma modinha, mas eu já passei por uma fase "cry, emo, sorry i cant be perfect", coisa que me ajudou a crescer (e muito). São fases da vida de cada indivíduo e quem é "você" pra falar mal dessas ''modinhas''? Enquanto tem gente falando mal de gente ''colorida i love cine and restart'', tem muitos assuntos mais interessantes para serem discutidos (e resolvidos, de preferência).

10- A internet ocupa quanto do seu tempo? Você a considera indispensável?
M: Bem, durante as semanas de aula, não tenho muito tempo pra viajar na internet, mas como eu estou de férias, ando usufruindo boa parte do meu tempo nela. A maioria dos meus amigos moram longe de mim, por isso conversamos pelo msn, orkut, facebook... E, claro, sempre que a criatividade vem me visitar eu dou um jeito de jogá-la no meu blog!

11- Seus planos para o futuro, que profissão que pretende seguir?
M: Eu desejo ser jornalista há quatro anos. Com isso, pretendo conhecer novos lugares, pessoas, idiomas, culturas etc. Sem a ambição de ser rica, sonho em ter um pequeno apartamento lotado de livros e perfumado por café. E, obviamente, publicar uma boa tonelada de livros.

12- Porque é tão difícil para os jovens escrever sobre temas sérios?

M: Porque a maioria deles simplesmente ainda não sabe o que é sério.

13- Você está sempre informada da situação atual do nosso país?

M: Como eu estou de férias, to tendo mais tempo pra assistir aos jornais com mais calma e tal. Eu sei do que acontece de mais importante (nada mais que a obrigação de uma futura jornalista, hihi). Confesso que eu gosto muito de me aprofundar em determinado assunto para poder formar minhas próprias conclusões. Quando vejo que estou meio ''atrasada", corro pra internet pra me atualizar, hehe!

14- Como jovem e estudante, cotas raciais, sociais ou a extinção do sistema de cotas?

M: Na minha humilde e inútil opinião, creio que as cotas sociais sejam necessárias, pois eu estudei em escolas públicas até o primeiro ano colegial, e vi de perto como é tenso acordar cedo pra dormir na sala de aula. Hoje, estudo como bolsista numa escola particular e noto a diferença. Acontece que não é todo mundo que tem a sorte que eu tive de estudar gratuitamente numa boa escola e, muitas dessas pessoas, têm objetivos na vida. Acho que nada mais justo do que um ''empurrão" para que esses objetivos possam ser alcançados.

15- Um tema em debate esta semana foi à adoção de crianças por homossexuais, você é contra ou a favor?

M: Sou a favor, sem mais. Ok, tem um ''mais": Acho que o ser humano não deveria "aprovar" nada, e sim, por obrigação, enxergar isso como uma coisa natural.

16- Uma música e um filme que te inspire ou simplesmente goste muito?

M: Sleep (My Chemical Romance) é uma música que me traz boas lembranças e Desventuras em Série é um filme que me obriga a dizer que "Sempre tem um jeito".

17- O país que gostaria de conhecer além do Brasil? Por que?
M: Eu gostaria de conhecer a França, pois uma das minhas melhores amigas mora lá, mas eu nunca a vi.

18- Uma pergunta que gostaria de responder?

M: "Por que seus amigos não te ligaram pra confirmar o almoço de amanhã?" (adoro levar bolos coletivos).

19- Uma sugestão para o Blorkutando?

M: Acho que um tema legal a ser abordado seria o "vegetarianismo". Poderia estar relacionado ao modismo que isso envolve também.

20- Uma frase?
M: "Think Happy Thoughts'' (tenha pensamentos felizes).

Rapidinhas:

- Vida - simplicidade que complicamos.

- Morte - fim desconhecido.

- Futuro - ansiedade ora dispensável, ora indispensável.

- Passado - alegria que não volta mais.

- Fé - ausente em mim.

- Razão - certeza.

- Realidade - triste.

- Sonho - um bem indispensável.

- Violência - ignorante.

- Paz - apocalipse.

- Blog - meu pedaço de papel.

- Blorkutando - a nossa pequena fábrica de criatividade.

- Manie – sonhadora.
_______________________________________________


Meus leitores fofos! Espero que tenham gostado da entrevista, pois eu adorei respondê-la.
Obrigada à equipe Blorkutando pela oportunidade de expôr um pouco mais sobre mim e o meu cantinho.



(PS. Amiguinhos, no último final de semana viajei com a minha família e não tive tempo para postar. Porém, lembrei de vocês e fiz alguns vídeos/tirei algumas fotos pra postar aqui, ok?... Outra coisinha: Estou em semana de provas e entrega de trabalhos, portanto tô meio sem tempo de postar aqui, mas já tenho um conto legal em mente pra vocês, ta? Beijinho pra todo mundo, obrigada por tudo! :D )

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

1 comentário (s)