As aventuras de Nathane - O Retorno

14 de setembro de 2010

- Alô? Manie?
- Oi, Nah, fala...
- Manie, tua mãe tá aí? - perguntou Nathane, com a voz trêmula.
- Ihhhh... tá sim, pera aí.

É um tanto estranho uma amiga ligar pra sua casa querendo falar com sua mãe.

- Oi querida! - disse minha mãe, atendendo o telefone - Hmm... ahã... sei... entendo... COMO ASSIM?

É realmente tenso ouvir as conversas alheias no telefone, pois parece que sempre ficamos do lado de quem responde e nunca de quem diz as informações do diálogo. E, geralmente, essas respostas são monólogos irritantes que aumentam a sua curiosidade imensamente. O pior é quando surge um desesperado ''COMO ASSIM?!'' no meio da conversa.

- O que aconteceu, mãe? - cochichei.
- Coloca no google, Mariany! - ordenou ela.
- Pronto.
- Digita: como descolar dedos colados com super-bonder.

Eu comecei a rir loucamente.

-Vai logo!!

Nunca pensei que um dia fosse digitar isso no google, mas o fiz: "colei meu dedo com super-bonder, e agora?"

Logo achei algumas soluções. Fui passando-as para a minha mãe.

- Faz assim, maluca... - continuou minha mãe - coloca o dedo em água quente... NÃO, sua doida, não é fervendo! Tá querendo fritar teu dedo? - pausa - Depois você deixa a água agir por alguns minutos... Conforme o tempo passar, o dedo vai descolando... Tudo bem... De nada! Cuidado, sua doidinha.

Minha mãe desligou o telefone e começou a rir demais.

Acontece que a minha amiga super centrada (sem nenhum neurônio em falta, rs) quebrou o segundo óculos de sol da mãe dela. Desesperada, tratou de colar com super-bonder, mas a cola vazou pela lente. Tentando limpar, ela passou o dedo e o deixou pressionado, enquanto respondia alguém no msn. Quando tentou tirar o dedo da lente, ele não saiu.

Moral da história: nunca, nunca, nunca coloque o dedo numa lente de óculos com super-bonder!

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

1 comentário (s)