Obrigatoriedade do voto.

2 de outubro de 2010

Vejo todo mundo com uma opinião sobre esse assunto. Por isso, resolvi expôr a minha também.

Seria simples se toda a população brasileira fosse constituida de intelectuais ou, ao menos, pessoas com opiniões formadas e conclusões tiradas sobre diversos assuntos. Todavia, não é isso que acontece. A maioria dos brasileiros não tem direito a um ensino de qualidade, o que torna visível a grande parcela de semi-analfabetos e analfabetos no nosso país. Vale ressaltar que a culpa não é deles, mas sim de quem os governa.

Já dizia John Locke, que somos nós, o povo, quem fazemos com que um determinado ser humano nos governe e que, justamente por esse motivo, somos capazes de tirá-lo de seu poder a qualquer momento, caso nossas necessidades não sejam atendidas. Portanto, se um representante está em seu cargo em prol do povo e esse povo o escolhe, essa escolha deve ser bem feita. Os tiranos estão soltos por aí, preparados para atacar a qualquer momento e aproveitar-se do que lhe foi concedido, visando o bem dos próprios umbigos. Temos ladrões de cemitério, atrizes pornôs, ex-jogadores de futebol e até palhaços pedindo o nosso voto na televisão. Eu me pergunto: como o povo brasileiro, sem educação digna, pode ter capacidade para eleger um representante digno de seus votos?

Vem então, a polêmica da obrigatoriedade do voto no Brasil. Como pôde ter sido percebido no decorrer dos primeiros parágrafos, eu sou contra. Isso se deve, justamente, pela desqualificação da maioria dos eleitores, a qual é fortemente manipulada a um voto despreparado. As pessoas não buscam o passado de seus possíveis representantes, nem suas promessas ou seus planos de governo. Geralmente, elas votam em quem o vizinho escolheu para votar, o que não é o certo, já que o voto é secreto.

Portanto, ao meu ver, a base disso tudo seria um ensino de qualidade para toda a população brasileira. Só assim, teremos eleitores qualificados e formadores de suas próprias opiniões. Contudo, aos olhos dos nossos "superiores", não há nada de errado com isso. Cada vez mais, os alunos são aprovados sem nenhum pingo de aprendizado. Eles são vistos como uma massa de futuros alienados, os quais, não tendo um bom ensino, não terão a possibilidade de se tornarem pessoas críticas. Os mais fortes temem que os mais fracos os superem, ou constestem seus poderes e exijam os direitos prometidos. Por isso, dão ao povo motivos para que essa "inteligência" se oculte, através de uma pequena política "pão e circo". Para eles, o povo viveria dentro de uma imensa Copa do Mundo, com muita Bolsa Família e dias ensolarados.

Isso é deprimente.

talvez você também goste:

2 comentário (s)

  1. Concordo plenamente.Até porque fico impressionada quando vejo a justificativa de quem é a favor da obrigatoriedade e diz: se não fosse obrigatório muitos não votariam.
    Comos e o que importasse fosse os números na pesquisas e não o voto mais consciente.

    E o que você disse tem tudo aver com a música do Natiruts-Deixa o menino jogar, quando ele canta:
    "Deixa o menino aprender ô iaiá, que a saúde do povo daqui é o medo dos homens de lá.A consciência do povo daqui é o medo dos homens de lá.A sabedoria do povo daqui é o medo dos homens de lá."

    =))
    Muito bom o post!
    Acho que você foi, dos posts que eu li, defendeu melhor seu ponto de visa.Com argumentos sólidos e coerentes, e não utopia e superficialidade.=))


    Beijos.
    =**

    ResponderExcluir
  2. Passeando pela blogosfera, cheguei aqui, adorei jogar pedrinhas na sua casa, por isso, sigo-a, para voltar sempre!
    Uma boa semana!

    ResponderExcluir