Ai, como tudo isso é confuso...

8 de novembro de 2010

A minha própria vida me deixa tão confusa... Minha mente parece um liquidificador de sentimentos. Sinto-me feliz e triste, ao mesmo tempo. Meu coração está cheio e vazio. Quero tudo e não quero nada.

A criatividade invade a minha mente e, com ela, uma avalanche de vontades e sonhos toma conta de mim. Quero gritar sob a chuva e liberar toda essa confusão que cerca meus pensamentos.

Quero crescer e ser, finalmente, quem eu sempre quis. Carrego ainda a possível utopia de ter um apartamentozinho lotado de livros, com cheirinho de café. Quero ler, escrever; quero ter todos que eu amo perto de mim; quero pagar contas, ir ao supermercado, enviar cartas, fazer bolos; quero viajar pelo mundo e conhecer as culturas mais diversas... quero ser jornalista e colocar toda a minha vida em cada passo que eu der dentro dessa profissão tão sonhada por mim, nesses últimos quatro anos.

Porém, eu quero nunca ter que crescer. Quero ir à escola, fazer meus deveres de casa, trabalhos escolares, pegar ônibus lotado, ir ao cinema às quintas-feiras, dedilhar as notas musicais que eu tanto amo nas tardes sem nada para fazer... quero desenhar na praia, fazer picnic na garagem do prédio, acampar na sala de casa, comer brigadeiro da panela, ouvir meus roqueirinhos de New Jersey no último volume; quero buscar pão na padaria aos domingos, ir à casa dos meus avós.

Ai, como tudo isso é confuso...


Música para ouvir enquanto lê: ♫♪

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

3 comentário (s)