Você acredita em Deus?

1 de novembro de 2010

Texto para Bloínquês
32ª Edição Opinativa
Tema: Você acredita?
"Você acredita na existência de Deus? Acredita que alguém que nunca vimos, realmente existe?
Por que você acredita ou por que não acredita? "



Não acredito que exista uma força maior sobre todos nós. Aliás, não consigo entender porque tantas pessoas acreditam nisso. Ao mesmo tempo, me pergunto o porquê de eu não acreditar em algo que é visto com olhos tão naturais e aceitado tão indubitavelmente pela maior parte da população ocidental.

Primeiramente, o fato de ter sido criada em uma família "liberal" pode ter contribuído para eu não ter sido alienada a pensar como eles. Aqui em casa, desde que eu me entendo por gente, meus pais frequentam centros espíritas. Eu ainda tenho meus avós que são católicos e uma pequena parcela evangélica entre meus parentes. Porém, nunca fui obrigada a seguir nenhum caminho religioso.

Desde pequena, fazia minhas reflexões sobre a provável existência de Deus. Talvez meu pensamento empírico ou seja lá o nome que desejem dar a ele, tenha me feito duvidar a todo o momento desse assunto. Perguntinhas dentro da minha pequena mente faziam-me questionar esse fato tão defendido pelas pessoas, à unhas e dentes.

Aos catorze anos de idade, enquanto andávamos de ônibus, peruntei à minha mãe o que ela achava da existência de Deus e começamos a conversar. Até que chegamos a um ponto em que ela, sem que eu confessasse, percebeu que eu não acreditava. Inicialmente, ficou chateada e nós discutíamos frequentemente sobre esse assunto, inclusive sobre eu continuar rezando com a família às segundas-feiras.

No entanto, conforme o tempo foi passando, ela começou a respeitar minha opção e, atualmente, não falamos mais nisso com um fundo de desejo de alienação. Continuo participando das orações em família - embora eu preste mais atenção nas historinhas que são lidas do que na mensagem religiosa em si - e levo isso naturalmente.

Não acredito em Deus e, ao meu ver, essa energia poderosa acreditada por tantas pessoas é um conforto que elas encontram para tudo o que passam na vida. Problemas, felicidade, dúvidas... Muitos seres humanos vivem só e exclusivamente para a igreja, agradecendo seu ser supremo pela vida que levam, rogando seu perdão por algum pecado cometido, ou simplesmente rezando para algo de bom acontecer. Não vejo mal nisso, pois ao meu ver, cada indivíduo tem o livre arbítrio de escolher viver da forma que bem entender. Contudo, o meu jeito de viver não se encaixa em nenhum meio religioso e eu não me sinto anormal por, simplesmente, ser atéia.
_________________________________

Confesso que pareço um pouco revoltada para a minha pouca idade, mas não o faço propositalmente. Vegetariana, atéia... hmm... não sou lá bem vista pela sociedade, né? Mas posso contar um segredo pra você, leitor? Não me importo nem um pouco com o que pensam sobre mim e as conclusões que tiram a meu respeito.

Sempre temi escrever sobre isso. Na verdade, sempre temi escrever sobre muitos temas, porque poderia ser mal interpretada, mas viva a liberdade de expressão, oras!

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

4 comentário (s)