Férias: destruidora de seres humanos

01/08/2011

Ó, ruína pesada e triste que cai sobre meus ombros! Ó mundo cruel... ó vida bandida! Crianças correndo apavoradas, vestibulandos em pânico e culpa eterna, mamães e papais sumpimpa se preparando para se livrar dos filhinhos...

As férias acabaram.




Um minuto de silêncio.





Uma nota

As férias possuem três fases: aquela em que a gente planeja estudar mil e uma coisas, fazer exercícios físicos, visitar duzentas pessoas, ler duas toneladas de livros e ver uma lista enorme de filmes. Aquela em que você dorme, dorme, dorme, come, dorme, come, assiste à sessão da tarde, cochila, descansa, tira uma soneca, dorme e come mais. Por fim, chega o último dia de férias no qual você planeja um suicídio por ter engordado 3kg e não ter feito nada de útil.

A verdade, colega, é que nas férias a gente se torna inútil [ponto]



Aqui vai uma listinha das coisas muito úteis que fiz durante esses trinta dias:


tirei fotos com zoom da minha vó tomando café para que ela não percebesse




demorei décadas fazendo um tutorial pra ajudar o pessoal da classe a postar no blog de geografia, mas não consegui anexar no tópico




acampei (ahhh, tirando a minha cara de xuxa e os doendes II, esse foi legal)



comi duas maçãs do amor e meia


comprei uma máquina de escrever sem tinta por 10 mango



aprendi a fazer trança embutida depois de assistir muito no youtube (falta do que fazer nível extremo)

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

1 comentário (s)