Red

10/12/2011


Sou um palhaço diferente. Tenho nariz alaranjado, porque vermelho me lembra maçã e eu realizei a proeza de entalar-me com uma casca dessa fruta (em forma de fuso esférico, de 26º).

Ora, que baita ironia do destino.

Casei-me com o meu primeiro amor, uma bailarina com bochechas vermelhas, que morreu num acidente, depois de cair de dez metros de altura, lá no picadeiro. Nesse dia haviam luzes vermelhas, daquelas estilo pisca-pisca, enrolando todo o ambiente, desde o homem gordo vestido de árvore de natal até a mulher que cuspia fogo.

Uma vez ganhei a Bíblia de aniversário, aos seis anos de idade, mas eu não sabia ao certo o que era aquilo. Ganhei de uma senhora que vinha aos meus espetáculos todas as quintas-feiras. Bebendo um suco de morango, vermelho (muito vermelho), deixei a bebida cair sobre as páginas do livro e a senhora, ofendida com meu descuido, me deu uma bofetada em meu olho esquerdo e ele ficou vermelho.

Dia desses eu burlei as regras estabelecida pela Constituição Internacional dos Rinocerontes sem Lar. Eu me candidatei a presidente, mas no momento em que subi ao palanque para explanar sobre meus objetivos dentro da Associação, pisei e um sorvete de amora vermelho. Dentro da Constituição Internacional dos Rinocerontes sem Lar, pisar em um sorvete no momento de um discurso é uma ofensa imperdoável. Paguei cinquenta e cinco reais e oitenta e seis centavos.

Meu azar vermelho estaria completo, se não fosse pelo meu descuido ao tropeçar num teclado de computador no meio do parque das Margaridas. Não sei por que cargas d'água aquele objeto estaria ali, bem naquele momento... só sei que derrubei uma senhora de vestido vermelho, que acabou rasgando a roupa em uma lasca de madeira do escorregador. No dia seguinte entreguei o vestido intacto, após costurá-lo com linha vermelha.

Ah, oi, esqueci de avisar. A foto desse meu pequeno retrato de vida está aí porque A Última Música retrata uma história de amor... e o amor é vermelho. Vermelho como a minha vida.

_________

Texto baseado na lista de 10 palavras abaixo, escolhidas aleatoriamente pelo meu amor Elioenai, que também escolheu a foto:

ironia
teclado
constituição
parque
árvore de natal
pisca
sorvete
oi
amor
bíblia

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

3 comentário (s)