Sobre a imperceptível alienação

12/12/2012

Encheu os pulmões com a fumaça de seu cigarro barato e disse:
- Você deve seguir esse pensamento, pois se for contra ele estará sendo contra a liberdade!

Afastei o cinza do tabaco que vinha em minha direção e falei:
- A partir do momento em que eu devo, já não sou mais livre.


Você poderá gostar também:

5 comentário (s)

  1. Essa pequena prosa me lembrou de algumas pessoas que dizem lutar por direitos, mas que ao invés de debater o assunto de forma livre querem te obrigar a pensar igual a ela.

    No final, independente do lado em que você está, do que acha certo ou não, você tem que saber que a decisão final do que pensar é da outra pessoa e assim como quer ser respeitada, tem que respeitar ela também.

    ResponderExcluir
  2. Pois é, porque sempre tem algo ou alguém para nos prender. Beijos

    ResponderExcluir
  3. Gostei da forma que você levantou essa questão e agora fiquei pensando: nós ao menos sabemos por experiência o que é liberdade? Porque a cada dia que passo me sinto mais distante de me sentir livre.
    Texto sensacional!

    ResponderExcluir
  4. É preciso apenas ser você mesmo, e fazer o que é sensato para você. Um Beijo

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo blogger, perfeito


    http://lagrimasdeumgaroto.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir