Sejam Muito Bem-Vindos

21 de junho de 2013

Com o título original Bienvenue Parmi Nous, Sejam Muito Bem-Vindos é um dos filmes mais lindos que eu já vi em 2013 e, por isso, dei 5 estrelas pra ele no filmow.


Filme francês, dirigido por Jean Becker, narra um momento da vida de Taillandier, um pintor de 60 e poucos anos que, sem encontrar mais saídas para vida que tanto odeia, decide buscar uma luz que lhe dê algum sentido. Nessa jornada, conhece Marylou, uma adolescente que também possui muitos problemas, sendo um deles ter sido expulsa de casa pela mãe. Juntos, eles se jogam na estrada e passam por momentos importantes para fortalecerem sua vontade de viver.

Entrei no cinema depois de uma prova, pra aguardar o tempo do gabarito sair na internet, mas acabei me surpreendendo com o que a tela transmitiu. Além de ser em francês (passar 1h30 ouvindo esse idioma é quase hipnotizante), tem personagens super bem construídos, cada um com seu temperamento marcante, que simplesmente me cativaram.


Marylou (Jeanne Lambert), diferente do que pareceu, não tem nada a ver com a personagem de Pé na Estrada: a semelhança tá apenas no nome. Ela tem muitos itens que eu gosto numa personagem, dentre eles ironia e autenticidade (falei bonito agora), retratando não apenas uma jovem rebelde, mas sim uma garota que ainda tem um lado infantil muito poderoso dentro dela e, ao mesmo tempo, garra pra fazer da sua vida algo melhor, nem que isso signifique viver aventuras ao lado do pintor.


Interpretado por Patrick Chesnais, Taillandier é daqueles senhores que eu me identifico: conflituoso com sua vida. É maravilhoso como ele mescla seu desespero em relação ao que sente com a preocupação em ajudar Marylou, o que faz com que ele não seja mais um velho deprimido na tela do cinema.



Trailer:





Meu perfil no FILMOW

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

8 comentário (s)