Inquietos

03/07/2013

Inquietos (Restless) é um filme que, à primeira vista, parece mais um daqueles clichês do câncer. Entretanto, seu roteiro fez com que ele se distanciasse das histórias com a mesma temática, proporcionando uma autenticidade muito especial. Como na maioria das vezes, essa autenticidade está muito ligada às personagens, pois elas são originais e fofas.


Annabel (Mia Wasikowska) e Enoch (Henry Hopper) se conhecem num lugar muito comum para encontrar o grande amor: um funeral. Ambos vão se conhecendo e estabelecendo uma relação bem afetiva entre si, até que Annabel conta ao rapaz que ela está em estado terminal. Mesmo após ter perdido toda a fé que tinha na vida, antes de conhecer a garota, o órfão Enoch se deixa levar pelos seus sentimentos e os dois vivem um amor puro e bonito.



Como eu gosto de apontar nas minhas resenhas, as personagens contam muito pra que eu goste do filme. Em Inquietos não me decepcionei: Annabel é uma moça muito fofinha, apaixonada pela vida, amante de Biologia e da história de Darwin. Gosta de desenhar animais dos mais variados reinos, espécies, famílias, gêneros, enfim, de pássaros a besouros.

Já o Enoch, mesmo sem doença terminal, sente-se morto. A única coisa que o anima antes de conhecer Annabel é jogar batalha naval com um fantasma de um piloto de caça kamikaze da Segunda Guerra, que é seu amigo inseparável, o Hiroshi (Ryo Kase).

Juntos, Annabel e Enoch embarcam numa (isso ficou muito sessão da tarde) história de amor indescritível, procurando fazer de suas vidas algo cada vez mais belo.

Eu achei a história muito bem construída, a fotografia maravilhosa, os cenários simplesmente lindos. A trilha sonora também é bastante agradável e o roteiro, como eu disse, é incrível. E as roupinhas? Como sou apaixonada por roupinhas de personagens! Nesse filme eu casei com as roupinhas, sem mais.


TRAILER:

Meu perfil no FILMOW

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

6 comentário (s)