Intocáveis

29 de agosto de 2013

Philippe, homem de meia idade e bem sucedido, fica tetraplégico após sofrer um acidente. Sem condições de fazer coisas simples do dia-a-dia sozinho, como tomar banho, começa uma saga na busca de um cuidador que o agradasse. Todos, no entanto, possuem aspectos que o desanimam: alguns são cuidadosos demais (digamos, chatos bagarai), outros são muito sérios, enfim, em geral, todos eles enxergavam Philippe como um senhor debilitado, como se sua vida girasse em torno de seu problema.

É aí que entra na história o divertido Driss, que nos faz rir com seu jeito irônico de levar a vida. Politicamente incorreto, ele vê Philippe como um homem comum e passa a mostrar um mundo cheio de aventuras ao, até então, senhor sério e solitário. Juntos, formam uma grande amizade, que mostrará aos dois o quanto a presença de um é importante na vida do outro


Gente, eu simplesmente morri de rir no cinema. O Driss é muito (muito mesmo) engraçado e o mais legal é que o Philippe aprende demais esse outro lado da vida, mais largado e espontâneo, deixando-se levar aos poucos pela loucura do seu cuidador. Além disso, é um filme com pontos bem emocionantes, que retiraram algumas lagriminhas de mim enquanto tentava comer as pipocas (com muita manteiga, sempre).


Depois que li A Culpa é das Estrelas, notei certa semelhança entre a Hazel e o Philippe, no que diz respeito ao modo como tratam suas debilidades/doenças. Ambos sentem-se normais, mas possuem a consciência de que há um problema enroscado em suas vidas. Mesmo assim, nenhum dos dois se faz de coitado e, muitas vezes, ironizam a própria dificuldade. Não me recordo das palavras exatas, pois estou sem meu livro aqui, mas cheguei a rir em uma passagem que a Hazel diz que deixou de fazer algo porque passou a tarde muito ocupada tendo câncer. 

Alguém conhece o filme Intocáveis? O que acharam da história?


TRAILER:

Meu perfil no FILMOW

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

14 comentário (s)