Frio + Sol

26/09/2013

Tem climinha melhor, minha gente?

Eu sou apaixonada pelo inverno. Sou doida por cachecóis e toucas, acho chique (manda beijinho e assopra com a mão). E, claro, gostaria muito de conhecer a neve, por mais clichê que isso pareça. 

Mas não gosto de sentir frio. Não, eu não sou doida, cêis não tão me entendendo. Eu gosto de frio, mas desde que eu esteja bem agasalhada pra poder apreciar as baixas temperaturas. 

Já com o verão... Digamos que eu tenha criado um ódio mortal com essa estação, porque eu moro em Santos, que não é Rio de Janeiro, mas faz quase 50 graus durante essa época. A galera frita que nem pipoquinha aqui. Você sai de casa com lápis de olho e volta de sombra. É tenso.

Ao mesmo tempo, gosto de sol. Gosto da sensação quentinha que ele passa (esse foi o pleonasmo mais lindo que eu já criei na vida). Vocês me entendem? Sabe, botar um vestidinho, dar uma volta ao ar livre, pegar uma vitamina D básica. Sinto falta disso quando os dias estão frios. 

A solução são dias frios com sol, em que a gente pode colocar uma roupa não tão pesada, aproveitar o inverno pra não derreter e, ao mesmo tempo, sentir os raios de sol em nossa pele, nos abraçando e aconchegando. 

Poesias à parte, vamos ver o que eu trouxe hoje procês. Na volta do meu caminho-de-todo-dia, aproveitei o frio+sol e fotografei algumas cenas. 

Eu parei bruscamente na ciclovia só pra poder fotografar esse momento. Poderia ter morrido. Imagina como seria morrer por uma fotografia... Trágico

Achei essa paisagem linda, especialmente por ter um casal caminhando na areia.  

Fazendo uma fotossíntese básica. 

O grande rei amarelo, deixando nossos dias mais quentinhos. 

Achei essas senhoras conversando no banquinho da praia tão fofinhas... Eu parecia uma maníaca do FBI disfarçando na hora de clicar.  

 Eu gostei dessa foto porque ficou com marcas de sol naturalmente (escorreu até uma lágrima, peraí gente).

Como nada é só felicidade, a corrente da bike caiu e eu, lesada, não consegui arrumar. Sorte que meu pai estava voltando exatamente naquele momento pra casa e pôde me ajudar. Um salve pro meu pai. 

Essa é Judith. Ela tem dois cachorros: o Ping e o Pong. Todas as tardes, lá pelas 16h, Judith gosta de passear com seus bichinhos, especialmente em dias ensolarados. Seu prato favorito é arroz com batatas e ela adora assistir Rubi, coisa que ela faz pela 5ª vez, com muito amor. Judith é adorável. 

Mentira, essa senhora não se chama Judith, mas deu vontade de criar uma estorinha pra ela. Amei essa cena.

E vocês? Preferem frio ou calor?

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

16 comentário (s)