60's

10 de janeiro de 2014

Minha mãe costuma dizer que eu nasci na época errada, porque eu amo coisa velha. E quando eu falo coisa velha, é coisa velha mesmo. Não é por acaso que a minha matéria favorita na escola sempre foi História, que, apesar de retratar assuntos mais atuais, nos leva a uma viagem muito louca no passado. 

Dentre as épocas que eu pude conhecer, a minha favorita é, sem dúvida, os anos 60. Tá, eu não vivi esse período (nem precisa me lembrar disso), mas sou apaixonada pelos detalhes dessa época. Desde acessórios, roupas e decoração à filosofias, estilos fotográficos e música. Virou até um pouco clichê falar que ama os anos 60, mas eu não me importo: é um fato estampado na minha testa enorme.

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 

Sou frustrada por não ter ido a um show dos Beatles e surtado como as meninas que iam, histéricas, chorando e se descabelando. Ou então ter transmitido mensagens de paz e amor e saído por aí numa van colorida cheio de hippies. Mas, claro, isso são apenas imagens na minha cabeça. E, sabe, é bom que sejam apenas imagens mesmo... Imagens que me transportam a uma época distante e ao mesmo tempo tão próxima.

(acho que eu tava aí)

Hoje é fácil encontrar referências aos 60's nas vitrines, nas estantes, nas rádios, nas passarelas. O vintage se tornou algo bonito que representa, acima de tudo, a viagem no tempo dos que viveram esse momento e a ânsia dos que não viveram de ficarem próximos a ela. Esse último caso é o meu.

Minha vó esconde um monte de objetos/roupas da época e de vez em quando me mostra um. "Esse aqui foi do casamento da sua tia" ou "essa blusa sua prima usou na festinha do colégio". Enquanto isso, eu fico doida, abraço tudo, corro em círculos gritando "que liiiiiiindo!" e minha vó faz a Chloe, me olhando super assustada, como se, para ela, essas recordações fossem a coisa mais normal do mundo.

vovó no estilo "desenhe-me como uma de suas francesas"

Um filme que retrata de um jeito muito especial essa década é Across The Universe (foto abaixo). A história mostra pra gente a revolução, o amor, o LSD e a guerra, tudo isso retratado com a trilha sonora dos Beatles, cantada pelos próprios atores. Há alguns anos eu fiz resenha desse filme no Pe-dri-nha (link aqui). Assistam!


Minha diva dos anos 60 me conquistou não por ser cheia das pérolas, nem abusar de sensualidade exagerada, nem ter glamour na veia. Anna Karina, uma atriz dinamarquesa da época, deu ao movimento Nouvelle Vague o ar de sua graça (e que graça!), me cativando com seus quotes, ironias e corte de cabelos (♥). Linda, linda, linda (reticências infinitas).

Com vocês, a mulher mais linda do mundo (provem-me o contrário se forem capazes): 


Para finalizar esse post, deixo uma playlist anos 60 pra vocês dançarem, cantarem e viajarem no tempo!


Digam pra mim: qual época mais inspira vocês?

Manie
estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tomo cerca de 5 doses de café diárias. amo cheiro de livro velho e sou gamada numa biblioteca. adoro vinho barato, noites frias - dessas que sai fumacinha da boca. sou rolezera, mas também gosto de ficar em casa de buenas fazendo sopa.

talvez você também goste:

18 comentário (s)