The Black Parade

22/01/2014

Você tem algum símbolo de esperança? 

Eu tenho algo que me trouxe de volta à vida há alguns anos. É uma história. E eu vou contar pra vocês.


O que trago aqui hoje pra vocês é a história de um homem em estado terminal de câncer que me mostrou o significado de uma palavrinha chamada esperança

O Paciente - com letra maiúscula - está totalmente desiludido nos últimos dias de sua vida, já que vai morrer em breve e não fez nada que o fizesse se sentir orgulhoso de si mesmo até aquele momento. "Se você olha no espelho e não gosta do que vê, então tem uma pequena ideia de como é ser eu" é uma das frases que ele nos diz, mostrando bem como ele se vê.

Quando ele morre, a história começa. Os primeiros acordes dessa trama são misturados com o barulho de um monitor cardíaco anunciando a morte do tal Paciente. A partir daí, ele mergulha em todos os momentos que viveu, pensando em como sua vida inteira foi desprezível e como sua morte foi pior ainda. Viveu morrendo e morreu por causa de uma célula mutante malvada. "Grande ser humano!", ele ironiza. 

É aí que a morte passa por ele como um desfile, cheio de personagens impactantes. É a Parada Negra (do inglês Black Parade), convidando-o para juntar-se a ela, a fim de que ela pudesse mostrar que, no fundo, há esperança, até mesmo na morte. 

A miséria e o ódio de um mundo que te manda carretéis de sonhos dizimados matarão todos nós. Então pinte-o de preto e o devolva. Vamos gritar alto e claro, desafiando-o até o final (...) Em frente e em frente seguiremos através dos medos (...) Nós continuaremos. 


E através desse hino à esperança, eu, na época uma garotinha de 14 anos, olhei no espelho e vi o Paciente. E descobri que muita gente também tinha visto a mesma pessoa ao ver seu reflexo. Pessoas que hoje são muito especiais pra mim. 

Onde havia escuridão, eu enxerguei a luz. Conheci amigos incríveis e junto com eles, num fevereiro distante, cantei "Eu não tenho medo de continuar vivendo... Eu não tenho medo de caminhar sozinho neste mundo". Tudo por causa da minha força. E essa força brotou em mim por causa dessa história. 

The Black Parade é o 3º álbum da banda My Chemical Romance, que foi minha banda favorita durante a minha adolescência inteira. Suas letras, difíceis de serem traduzidas, entraram como um remédio para minha dor, tão fácil e poderosamente que me levantaram de um período difícil da minha vida. Me ajudaram a ser quem sou hoje e a continuar superando tudo o que me puxa pra baixo. Me dá força, a mesma força que me deu há tantos anos. Me ilumina. Me faz querer viver. 

Não precisamos morrer, nem ter um tumor, nem passar pelo o que ele passou para nos sentirmos como o Paciente da história. Essa é apenas uma representação, muito bem construída, de alguém que, depois de tanta desgraça, conseguiu se reerguer. 

Quem quiser conhecer essa obra de arte, basta apertar o play. As músicas são incríveis, algumas com um toque teatral, outras com riffs pesados. Mas todas, exatamente todas, um dia me ajudaram. E espero que possa ajudar vocês ou, simplesmente, perfumar o dia de vocês com algumas notas musicais.



WE'LL CARRY ON




----------

Brotou coragem pra fazer a minha primeira tatuagem e eu já sei que vai ser algo relacionado a esse CD. 

Alguém aí quer participar do meu próximo vídeo? Eu pretendo responder algumas perguntinhas de vocês. Então podem fazer a Marília Gabriela que eu respondo tudinho (deixem as perguntas nos comentários).

Ah, não se esqueçam que o concurso fotográfico 500 Days of Summer vai até o dia 30. Ainda dá tempo de participar!


Você poderá gostar também:

22 comentário (s)

  1. Lindo lindo...
    eu nunca fui fã dessa banda, ouvia algumas músicas apenas
    ...

    ResponderExcluir
  2. Noooooossa, Manie! Você lembrou minha adolescência também! Adoro esses, os clipes, músicas, letras são tudo "foda" demais. Não teria outra palavra p/ descrever!
    É por isso que adoro seu bloguinho! rs
    Beijo!

    minhassingularidades.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é difícil encontrar palavras pra descrever, né? dá uma saudade tãããão grande dessa época ♥
      obrigada, Jéssica!

      Excluir
  3. Ahhhhh não sabe o quanto eu fico feliz em saber que uma blogueira que eu sigo gosta de My Chemical Romance. Me brotou uma lágrima nos olhos com o seu texto pois foi (e ainda é) como eu me sinto em relação a essa banda. É incrivel como cada música fez (e ainda está fazendo u.u) sua parte na minha vida e eu fico fascinada de ver que faz a mesma coisa na vida de outras pessoas. Essa é um dos motivos do por quê eu amo MCR.
    Pergunta : Como você decidiu que queria tocar piano/teclado? Eu estava querendo aprender pra poder tocar Cancer <3

    Beatriz, 12 anos
    Wingless Butterfly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. peeeeera, você tem 12 anos? caraca! com essa idade eu tava no início da minha era cHeMiCaL gIrL hahahaha
      que bonitinho isso ♥

      muito obrigada pelas palavras, Beatriz, um beijinho!

      Excluir
  4. E ao chegar no fim desse post eu me deparo mais uma vez com a certeza que carrego dentro de mim de que a música é uma das melhores formas de salvar as pessoas, de encantar, de construir sonhos, de fazer brotar ou renovar esperanças.

    Eu já ouvi muito My Chemical Romance quando era mais nova, as letras são realmente difíceis de traduzir, mas elas penetram na gente.

    É fácil se perder nesse mundo tão grande, é fácil desanimar, é muito fácil ser como O Paciente, mas é bom ter a certeza de que é possível ser diferente, encontrar forças e saber que vai cair de novo, mas que não vai ficar no chão.

    Adorei o post, cada dia gosto mais e mais do teu blog.

    Beijos, Manie.

    eraoutravezamor.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ai esse comentário ♥

      concordo contigo... quando eu digo que amo música é porque eu amo MESMO... tô pensando até em escrever um post sobre isso.

      muito obrigada pelo carinho! um beijo ♥

      Excluir
  5. Oi, Manie!
    Agora não vai dar pra escutar as músicas, mas volto aqui de novo depois heheh!
    Eu escutava algumas músicas do MCR há um bommmmm tempo e acho que essa Welcome to the black parade foi uma das primeiras que ouvi e me fez conhecer um pouco a banda. É tão bom demais da conta quando uma música, cantor, banda, livro, ou até mesmo uma pequena citação tem o poder de transformar o modo de pensar, de agir, de viver a vida! Muito feliz aqui com sua jornada! Com certeza eu teria orgulho de quem você é hoje, Manie!
    Bjão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grazi ♥
      obrigada, de verdade! um beijo

      Excluir
  6. Uau. Sou um grande fã de quando você faz essas misturas. Adorei a estória, e a banda não sou muito fã. :p

    ACESSO PERMITIDO: Súplica. @nerdisbetter
    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada, Elcimar! seus textos são incríveis também!

      Excluir
  7. Olá, Manie!

    Muito obrigada pela visita lá no blog! Sou dá época dos projetos de escrita do orkut sim! haha Morro de saudades! Já te sigo aqui há um tempão - acho que desde aquela época - mas só estou criando vergonha na cara de comentar decentemente os blogs que leio agora, que vergonha!

    Já tinha ouvido falar nessa banda e nunca tive muita curiosidade de escutar, mas depois desse post... que belas palavras! Busquei algumas músicas e letras e já estou aqui há uns 40 minutos escutando e lendo sem parar! É muito fácil se identificar com algumas!

    A música é uma das melhores formas de resgatar a gente do buraco e carregar pra superfície rapidinho!

    Beijão!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que saudade dos projetos do orkut, né? era tão bommmm

      ai que bom que você gostou, Luísa ♥ a minha favorita é Sleep

      pra mim, música é uma das coisas que me mantém viva... vou preparar um post sobre isso em breve.


      beijinhos!

      Excluir
  8. Oiiiii,

    Voltando ao mundo dos blogs, aproveitei para fazer uma visita.

    Desejo um ótimo inicio de ano a nós

    http://segundaeucomecooficial.blogspot.com.br/

    (`'•.¸(`'•.¸¸.•'´)¸.•'´)
    «`'•.¸.¤¤¤¤¤¤¤.¸.•'´»
    «`'•.¸.¤(\__/)¤.¸.•'´»
    «`'•.¸.¤(=':'=)¤.¸.•'´»
    «`'•.¸.¤(")_(")¤.¸.•'´»
    «`'•.¸.¤¤¤¤¤¤¤.¸.•'´»
    (¸.•'´(¸.•'´`'•.¸)`' •.¸)'

    ResponderExcluir
  9. Meu Deus, é a primeira vez que eu eutro aqui no blog e eu simplesmente achei ele lindo. Parabéns :)

    josesarafim.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ainda não acredito que você só tem 12 anos... para tudo, mundo.

      obrigada pela visita!

      Excluir
  10. Manie, cê quer me matar mulher? rsrs Que saudade da minha adolescência, ouvi muito My Chemical Romance. Sempre que precisei de uma luz suas músicas me ajudou. Essa banda marcou minha adolescência. Muito bom você ter feito esse post, deu vontade de ouvir tudo mais vezes ^^

    :*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahahaah ai, é tão bom saber que eu não fui a única sRtª wAy hahahaha

      obrigada pelo comentário, Jaqueline, um beijo!

      Excluir
  11. Nunca fui muito fã de MCR, mas Welcome To The Black Parade é uma das (centenas, hehe) de músicas preferidas, dessas que me dão arrepios quando escuto. Amo o clipe e a letra (e o Gerard Way, diga-se de passagem, acho que ele tá incrivelmente lindo nesse vídeo! hahahahaha), e o mais engraçado desse post é que a sua reflexão/dica sobre o álbum e a música vieram numa hora bem propícia pra minha vida! Hihi :) Obrigada, mesmo que não tenha sido intencional!
    "I'm just a man, I'm not a hero, I don't caaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaare"

    beijão, Manie! :DD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahahah gerard ♥

      eu que agradeço pelo carinho, Manu... mesmo não sendo intencional, vocês me motivam a viver cada vez mais intensamente. muito obrigada!!

      Excluir