Todos os bichos são iguais...

01/10/2014

... mas alguns são mais iguais que outros.

(ilustração retirada deste site)

Semana passada, na aula de Sociologia, minha parceira de cafés-pós-aula me emprestou um livro que eu tava com vontade de ler há bastante tempo. Achei que fosse demorar pra terminar, já que tô com 3 livros sendo lidos há meses, mas a leitura foi muito fácil e rápida. Alguns consideram essa obra apropriada até mesmo para crianças, porque a narrativa é realmente bem tranquila de acompanhar.

ACONTECE QUE os bichos de uma fazenda se emputecem com a realidade que eles vivem e quebram o sistema até então vigente. Influenciados por um porco velho e gordão que tinha esses ideais de revolução, o Major, seus herdeiros Napoleão e Bola de Neve assumem a liderança dessa mudança radical na vida dos animaizinhos. 

Unidos pela vontade de mudar suas vidas e acabar com a exploração do fazendeiro Jones sobre eles, os bichos expulsam violentamente o cara da fazenda dele. Então, a fazenda passa a se chamar Granja dos Bichos, porque quem mandava ali agora eram eles. Vaquinha nenhuma seria ordenhada para servir estômagos humanos; galinha nenhuma teria que botar ovos para sustentar a pança de humano nenhum; animal algum seria sacrificado por não estar mais apto ao trabalho; a vida mudou!! Agora os animais estavam prontos para se organizarem numa nova sociedade, onde todos eram amigos e se respeitavam, trabalhando em prol do bem do grupo.

Para que houvesse uma boa convivência, foram estabelecidos sete mandamentos, dentre os quais a máxima da revolução: quatro patas bom, duas patas ruim. 

Só que o tempo foi passando e o poder subiu à cabeça de Napoleão e Bola de Neve. Durante a revolução, todos dormiam no mesmo lugar, dividiam os trabalhos direitinho entre si, se respeitavam da melhor maneira possível e tinham os mesmos direitos. Quando o novo sistema se fixou, os porcos-líderes começaram a contornar a situação, dizendo que por liderarem o bagulho, mereciam um pouquinho a mais, seja de horas de sono ou de conforto. E, de repente, começaram a surgir mudanças misteriosas nos sete mandamentos. No item "nenhum animal dormirá em cama", agora havia uma frase ao lado, da qual ninguém se recordava "... com lençóis". 


A gente vai notando, no decorrer da trama, que os líderes começam a criar certa rivalidade, marcada pela oposição de algumas ideias que cada um deles tinha. Nesse momento, bati os olhos num parágrafo e fiquei doida:

(...) Segundo Napoleão, o que os animais deveriam fazer era conseguir armas de fogo e instruir-se em seu emprego. Bola de Neve achava que deveriam enviar mais e mais pombos e provocar a rebelião entre os bichos das outras granjas"
Não sei se todo mundo lembra, mas em 1917 houve uma revolução muito foda na Rússia, que derrubou o último czar (imperador russo). Isso ocorreu porque as condições de vida dos trabalhadores russos nessa época era extremamente miserável. Muita gente morria de fome e a indústria russa era uma piada perto de potências como Inglaterra e França. Em 1789 acabava o governo absolutista francês, em 1776 os EUA ganhavam independência e até a Itália e a Alemanha já tinham garantido sua unificação, ainda que tardia, no século XIX. E, enquanto isso, a Rússia continuava zoadona, parecendo um grande campo feudal. 

Com a Revolução Russa, um tal de Kerenski entrou no lugar do czar, mas, pra falar a verdade, não mudou quase nhéca nenhuma. Daí, os revolucionários mais radicais, chamados de bolcheviques, tentaram pegar o poder pra eles e conseguiram, tendo como líder o Lênin. Durante o governo do Lênin, a Rússia se desenvolveu loucamente, tipo, loucamente mesmo. 

Algumas coisas importantes que o Lênin-honey fez:
- IMPLANTOU O SOCIALISMO;
- TIROU A RÚSSIA DA 1ª GUERRA MUNDIAL: cara, um país fodido economicamente e socialmente não pode estar em guerra nenhuma, ainda mais quando estamos falando da primeira guerra mundial, galera. 
- IMPLANTOU O NEP (Nova Política Econômica): Lênin era inteligente e sabia que extremismo não levaria a Rússia a lugar nenhum; refletindo sobre isso, apesar de ter implantado o socialismo, ele deu liberdade pro comércio, visando o crescimento da agricultura russa (que, se você for parar pra ver, é um princípio capitalista). 
- CRIOU A URSS (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas)

Daí o Lênin morreu e o poder foi disputado por Stálin e Trotsky, que tinham algumas ideias opostas. Por exemplo, o Stálin queria que o socialismo fosse difundido primeiramente pela URSS pra só depois ser levado pro resto do mundo; já o Trótsky achava que a revolução socialista devia afetar o mundo todo logo no começo... e aí é que a Revolução dos Bichos entra. Vocês conseguem notar a comparação dos dois porcos líderes com esses dois caras, refletindo sobre essas ideias e aquele trecho que eu coloquei ali em cima? Pois é, cara: o George Orwell, autor do livro, utilizou uma história aparentemente inocente para fazer uma puta crítica ao STALINISMO, mesmo sendo comunista. 

A conclusão que cheguei ao ler A Revolução dos Bichos é que o problema não está no sistema, mas no ser humano. Dane-se se é capitalismo, socialismo, anarquismo, whatever, não acredito que o ser humano, na sua essência, seja bonzinho (a maioria, pelo menos). Quero dizer, observando a história ao estudar pro vestibular, eu percebi que em nenhum sistema houve realmente igualdade, porque sempre teve alguém querendo ter mais que o outro. Eu, pelo menos, não acredito que o Stálin comia do mesmo picles que o trabalhador da indústria. 


É justamente esse mal uso do poder que o George critica, mas muita gente diz que a crítica dele é ao comunismo. Não, velho, o cara era comunista. O problema é que o livro foi escrito em 1945. Essa data remete alguma coisa importante a vocês? O fim da Segunda Guerra, que tal? Época que os EUA viraram a grande potência mundial, mergulhados nos seus ideias capitalistas. Óbvio que, num momento como aquele, que iniciaria a disputa socialismo X capitalismo, os EUA, detendo uma obra tão foda como A Revolução dos Bichos, daria a interpretação que bem entendesse. KEEP CALM. 

Sugiro a leitura a todo mundo, como forma de reflexão sobre as relações sociais e políticas que nos rodeiam. É um livro fantástico, fácil, cheio de ironias e analogias incríveis que abriram minha mente pra esse assunto. Quando cheguei na última página e a história tava terminando, eu pensei "aff, vai acabar do nada", mas quando eu li a última frase, cara... Aaah, eu me arrepiei. 

Meu perfil no SKOOB

Você poderá gostar também:

12 comentário (s)

  1. Super interessante essa postagem. Bom, concordo quando disse que nenhum sistema propiciou total igualdade entre seus membros. Concordo também, embora não tenha lido o livro, que o mesmo é um crítica à qualquer sociedade existente. Gostei muito mesmo. :3

    http://acessopermitidoblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. elcimarrr, que saudades ç-ç
      quando puder, leia... não vai se arrepender!

      Excluir
  2. Eu faço história pela Universidade Federal do Ceará. Desde as primeiras aulas até hoje (quase fim do primeiro semestre) esse livro foi citado inúmeras vezes, e sim, ele é realmente fantástico. Não sei o que você pretende cursar (ou se já cursa alguma coisa), mas se for pra área de humanas -notei que você gosta- sugiro que releia após a cadeira de sociologia, que sempre tem no primeiro semestre.
    O ser humano é realmente algo muito complicado de se lidar, a gente vê que as possibilidades de mudanças são inúmeras, mas tem sempre um pra estragar a brincadeira. Como você disse, nem o socialismo até hoje conseguiu funcionar, ou melhor, se estabelecer concretamente.

    tofalandoisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. oloooco, que maneiro! já pensei em fazer história (ainda penso, na verdade hahaha).
      lendo o que você disse, deu pra ver que esse livro não é só usado pra entender a revolução russa, né? serve pra entender vários contextos, até mesmo o nosso atual, como disse o washington ali embaixo XD

      Excluir
  3. Ainda não li o livro, mas meu professor de história passou o filme "A Revolução dos Bichos" para a sala assim que terminou suas aulas sobre Primeira Guerra Mundial e Revolução Russa. Cara, enquanto eu assistia, só conseguia pensar no quanto George Orwell é foda. Tipo, com a metáfora toda que criou para ilustrar como foi o processo da revolução socialista na Rússia...

    E seu post ficou perfeito. Concordo contigo no quesito "pode ser qual for a ideia, pode ser qual for a instituição: uma vez que haja homens por trás dela (e é óbvio que haverá), nunca é bom confiar demais." Hahaha!

    Comentado com carinho, Jeito Único

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. george é foda mesmo! muita criatividade pra uma só pessoa, né? gênio!
      acho que tem o filme no youtube... qualquer dia desses pego pra assistir ^-^

      Excluir
  4. Manie, primeira vez que comento aqui e vou começar falando que amo o seu jeito de escrever, seu blog é ta na lista daqueles que confiro todo dia pra ver se tem algo novo, tipo assim considero pakas. Sobre esse livro: o mais legal é você ir lendo e percebendo as coisas mudando e a critica social, e na época eu estava estudando a revolução russa, e me ajudou a compreender melhor. Considero essa minha revolução favorita e acho que esse livo me ajudou a gostar ainda mais. Ótima resenha e amei a breve aula de história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. larissa [coração]
      vi seu comentário num vídeo meu lá no youtube e fiquei muito feliz, sério... ganhei o dia.
      agora você vem aqui e faz a mesma coisa... assim não aguento de alegria hahahaha

      se um dia eu for professora de história - nunca se sabe - vou ler trechos desse livro pros meus alunos, quando passar revolução russa, principalmente.

      Excluir
  5. Baaah que post delicioso! Sabe, esse livro, apesar da data em que foi escrito, possui uma forte influência se pararmos para usá-lo de base na construção de uma concepção sobre o mercado/estado atual... A corrupção, o desenvolvimento, tudo. Lembro-me duma ideia do Hobbes em relação ao sistema, algo que se encaixa bem nisto, ele acreditava que para a sociedade se equilibrar, precisa de líderes que extinguam a maldade e punam os homens para que vivam de forma organizada... Porém, o líder é um homem, comum, ele também pode ser corrompido, e pior, ele possui o poder, e é da natureza do ser humano ser maquiavélico ao ter o poder em mãos, pois ele sabe que não será punido ou questionado. Confuso não? Mas é bem real. A rivalidade que surge com o abuso do poder nesse livro, é mais humana do que qualquer coisa.

    Eu particularmente acho Orwell genial, mas né, minha opinião :D
    Isso aí!
    xoxoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. da próxima vez eu te chamo pra escrever meu post! cara, que comentário sensacional @_@
      foi bom porque não estudei muito Hobbes e lendo o que você disse, já me recordei de algumas coisas sobre esse cara! realmente, tem muito a ver com a história do livro.

      muita gente, principalmente nessa época de eleição, acha que o líder vai mudar o país, ta ligado? esquecem que, por mais que deva ser um excelente governante, é antes de mais nada um ser humano. não dá pra atingir a plenitude assim e nem sei se há outro jeito. talvez não.

      obrigada pela visita!!

      Excluir
  6. Esse livro é bom demais! Gostei muito das ironias e analogias que encontrei na leitura... E, bem, acabei pensando o mesmo que você... O homem, sempre que tiver oportunidade, vai tentar se beneficiar mais (do que os outros).

    Quero ler 1984, também do Orwell.

    ResponderExcluir
  7. Pareceu super interessante esse livro, um livro que eu irei tentar comprar e ler. Fiquei bastante feliz quando descobri que havia o livro cá em Portugal.
    Eu ainda não dei essa matéria da Rússia (apesar de já ter lido as páginas do meu manual correspondente a tal), por isso não sei quase nada do que se passou. Mas lendo o que escreveste e fazendo as comparações é bastante parecido, para não dizer quase igual.
    Concordo com a tua opinião. Mas eu acho, que algures lá no fundo, ainda existe bondade nos humanos. Mas o dinheiro, as posses e o poder sobrepõem-se a qualquer bondade existente. Porque é que isso se tornou tão importante?
    ~e eu fui ler a última frase do livro~ Se for o que eu estou a pensar que significa a frase... nossa...

    ResponderExcluir