Retrospectiva 2014

27/12/2014

Post escrito para a blogagem coletiva do mês de dezembro, do projeto Rotaroots
Tema: Retrospectiva 2014. 

Antes de mais nada: sumi, mas voltei. Fui pra outro estado - farei um post sobre a viagem - prestar vestibular e ainda não desfiz as malas, porque passo o dia trabalhando e a noite vou pros meus rolês (mesmo que seja uma pizza, em casa). 

Desde o fim de dezembro passado, já comecei a fazer minhas metas pro ano novo. Pela primeira vez, procurei realmente segui-las até o último dia desse ano, quando se iniciará uma nova lista. Algumas foram simples, outras trabalhosas, mas no fim, consegui realizar quase tudo o que tinha listado.


1) Comemorar a virada do ano da melhor forma possível.

Um dos momentos mais definitivos para o início do ano foi justamente a virada. Passei de um jeito simples, em Bertioga, com duas pessoas que fizeram toda a diferença em 2014: Tadeu e Cassio. Toda a força que eu precisei pra começar tudo de novo, nesse ano, foi principalmente graças ao apoio dessas duas pessoas que eu amo de um jeito inexplicável.


2) Sambar muito no carnaval. 


Nessa vibe de aproveitar cada minuto da vida, voltei pra Bertioga e passei o Carnaval lá, com o Cassio, o que rendeu muitas risadas, histórias pra contar e sambinha no pé. Sambamos muito (eu, ele e os primos dele), fomos na praia, ficamos madrugadas editando HTML do blog dele, comemos tudo o que tínhamos direito e continuamos revivendo os planos de ano novo juntos.


3) Conhecer gente nova/sair mais de casa.

Sempre fui muito caseira (e continuo sendo, confesso). Mas foi em 2014 que me permiti conhecer pessoas, lugares, seja perto ou longe de casa. Passei a aceitar qualquer convite pra dar um "rolê" no sábado, depois do cursinho, e isso agregou muita coisa boa nesses 365 dias.


Minha turma do Educafro, esse ano, foi incrível. Parece que ganhei um presente: ter conhecido todos eles (isso inclui professores, coordenadores, voluntários). Alguns eu realmente conheci e de outros eu apenas me aproximei mais, o que acabou dando no mesmo. Sem dúvida, uma das melhores coisas de 2014 foi ter me juntado a todas essas pessoas maravilhosas que fizeram desse ano, o melhor de todos.

Destaque para os meus dois amigos/irmãos/namorados/amantes/pais/filhos: Guilherme e Henrique. Sem eles eu não chegaria nem na metade do ano com o máximo de equilíbrio possível. Juntos formamos o Trio Calafrio e, com certeza, foram com eles as melhores piadas do ano. Já xinguei, já beijei, já chorei com, já dancei, já dei bronca, já esmaguei de tanto abraçar e levo o melhor dos dois comigo para aonde quer que eu vá (como eu disse, estou poética).


4) Ir ao show da minha banda favorita.

No dia 5 de abril, eu fui ao show mais aguardado dos ultimos seis anos: Muse. Esse foi um dos 4 shows que eu assisti no primeiro dia do Lollapalooza. Comprei o ingresso em novembro do ano passado, sem saber com quem nem como iria. Apenas fui. Além do Muse, no palco Skol, teve Capital Cities, Julian Casablancas e Phoenix.


Conheci três fãs muito queridos na excursão e passamos o dia juntos. Quando anoiteceu, ainda encontrei mais um fã, que me ajudou a enxergar o show (mesmo que eu estivesse a 5 pessoas da grade). Foi um dos melhores dias desse ano e eu desejo reviver tudo isso o mais breve possível.

Foi má-gi-co cantar junto com todas aquelas pessoas as músicas que antes eu cantava sozinha, em casa. Mesmo o Muse não permitindo a transmissão pela Multishow, o Phoenix permitiu e eu me sinto muito orgulhosa de ter visto isso ao vivo.


5) Viajar de avião.

Minha primeira viagem de avião foi pra Cidade Maravilhosa. Quem acompanha o blog há mais tempo, sabe que eu tenho um irmão de consideração que mora em Niterói, o Tadeu. Foi na casa dele que eu fiquei, durante os dias em que visitei o Rio de Janeiro.


Juntos, fomos ao show da Avril Lavigne; dançamos numa balada na Lapa; subimos o Corcovado (onde fica o Cristo); caminhamos no Leblon e em Ipanema; vimos o pôr-do-sol (mesmo que nublado) no Arpoador; compramos dos hippies de Copacabana; atravessamos a ponte Rio-Niterói de ônibus e de barca; fomos ao centro histórico do Rio tomar café/comer torta de morango na Confeitaria Colombo; passeamos de carro em Niterói. Foi lindo.


Em dezembro, fui pra Florianópolis de avião também, mas deixa esse pro próximo item riscado.


6) Estudar em casa/prestar vestibular.

Uma das minhas maiores metas era prestar vestibular e, consequentemente, sair de casa. Os resultados ainda não saíram, mas tô confiante, principalmente pra entrar na Federal de Santa Catarina (UFSC). Como eu disse, viajei pra Florianópolis esse mês e foi simplesmente maravilhoso. Mesmo que tenha sido para fazer 3 provas seguidas, aproveitei cada minutinho naquele lugar. Essa meta acabou se transformando em uma maior ainda pra 2015: me mudar pra lá. Postarei mais fotos em breve.



Pra acompanhar minha rotina de estudos, eu criei o Diário de Estudante, aqui no blog. 


7) Fazer uma tatuagem.



Sempre quis ter uma tatuagem, mas não tinha coragem (tá poético, rimou). Até que deu a louca em mim e eu resolvi fazer uma no braço, com a frase de um dos meus filmes favoritos, O Fabuloso Destino de Amélie Poulain: Les temps sont durs pour les rêveurs (são tempos difíceis para os sonhadores). Falei mais sobre isso aqui.


8) Viajar sozinha/acompanhada de ônibus.

As pessoas me acham meio deprê quando falo que gosto de sair sozinha. Acontece que eu amo a minha própria companhia. Pensa comigo: se eu mesma não gostar de sair comigo, quem vai gostar?


Voltei ao Rio de Janeiro em setembro, depois de 10 horas de viagem. Fui ver o Tadeu se formando em Jornalismo, na UERJ. Ainda deu tempo de dar uns rolê no Rio e comprar muita coisa daora na Casa do Biscoito.


Minha viagem acompanhada foi pra São Paulo, com duas pessoas que eu tive a sorte de conhecer esse ano: o Lucas e o Jackson, que em tão pouco tempo se tornaram muito importantes na minha vida. As melhores comidas feat. vinhos foram com eles e esses dois eu também carrego pra aonde eu for, mesmo que seja no coração.

Fomos pro Pixel Show, dormimos num Hostel (na Vila Madalena) e, no dia seguinte, fomos na Paulista e no Ibirapuera. Falei mais sobre essa viagem aqui.


9) Continuar dando aula.

Foi mais um ano sendo voluntária do Educafro. Como em 2013, dei aula de Biologia, agora dividindo a sala de aula com outra professora (que seguirá com a disciplina ano que vem). Tive certeza de que não tem graça nenhuma aprender alguma coisa e não poder passar adiante. Lecionar me faz acreditar cada dia mais que, se eu não for feliz com Jornalismo, é dando aula que me sentirei satisfeita.


10) Comemorar o melhor aniversário dos últimos 20 anos.



Como tenho esperança de mudar de cidade ano que vem, resolvi comemorar minhas duas décadas da melhor maneira possível. Criei até evento no Facebook pra ninguém esquecer. Chamei todo mundo que eu achava legal e fomos pro Rolidei, um café/teatro com show de música/danças/etc aqui de Santos. Consegui reunir amigos de outras cidades (até o Tadeu veio!) e comemorei por uma semana o meu aniversário. Um amigo chamou um amigo que chamou outro amigo e assim fizemos a nossa festa. Foi um show cover da Janis Joplin e o primeiro pedaço do bolo foi pra artista. Além dessa comemoração, ganhei uma festa surpresa no Educafro e um vídeo com alguns amigos mandando mensagens que já sei de cor, de tanto que assisti.


11) Não tava na lista, mas vou botar aqui: troquei alianças hippies.

Não gosto de anel de prata, ouro, esses negócios aí. Sempre pensei em como seria legal, se um dia eu voltasse a namorar alguém, trocar anéis de coco.


Como eu disse, não tava na lista de metas e isso é meio óbvio né. Acho que é um tanto quanto bizarro alguém escrever "começar a namorar" numa lista de ano novo, porque essas coisas, quando são verdadeiras, acontecem quando a gente menos espera. Ainda mais comigo, que jurei que nunca mais namoraria e toda aquela história de coração partido e blablabla. Daí teve um dia que eu olhei no espelho (mentira, não olhei, só falei pra ficar poético) e me permiti viver o verdadeiro carpe diem, aproveitando cada momento, sem me preocupar com 2015, com mudanças, enfim, me permitir amar de novo. Foi assim, devagar, que eu virei namorada do meu namorado, o que, sem dúvida alguma, foi uma das coisas mais importantes do meu 2014.


TOP 3 FILMES: Medianeras, O que é isso, companheiro? e Palo Alto.

TOP 3 LIVROS: Quem é você, Alasca?, A Revolução dos Bichos e Laranja Mecânica.

TOP 3 LUGARES: Arpoador (Rio de Janeiro/RJ), UFSC (Florianópolis/SC) e casa do Cassio ♥ (Bertioga/SP)

MÁXIMA DO ANO: Carpe Diem. Posso dizer que aproveitei cada dia de 2014, seja nas viagens e passeios ou nas terças-feiras comuns, as quais eu passei estudando História. Esse foi o combustível que me motivou a continuar seguindo minhas metas, muito além de janeiro, até agora.


METAS PARA 2015:

Fazer uma agenda pra 2015;
Passar um ano novo divertido com pessoas legais;
Passar na UFSC e me mudar pra Florianópolis;
Conhecer mais pessoas;
Viajar sozinha;
Viajar com algum (uns) amigo (s);
Ir em um show nacional;
Ir em um show internacional;
Terminar de escrever meu romance;
Escrever um livro de contos (reunir alguns já escritos);
Fazer um cover musical com meu avô;
Aprender uma música em outro instrumento (cansei de piano/teclado);
Fazer caderninhos artesanais para vender;
Voltar a estudar francês;
Mandar cartas pros amigos caso eu me mude;
Gravar mais matérias pro blog;
Comer/ler/ouvir/dançar/beber o que eu quiser;
Guardar 70% do meu salário todo mês;
Comemorar meu aniversário num lugar novo;
Fazer outra tatuagem;
Ler pelo menos 15 livros;
Ver pelo menos 50 filmes.

Hoje eu sinto que fiz boas escolhas e me sinto o mais livre possível pra fazer o que eu quiser. 2014 foi pra mim apenas uma prévia do que vou viver daqui pra frente. As metas? Vamos chamá-las de sonhos. Pequenos e grandes, que estão perto ou mais distante, mas que, se depender da minha força de vontade e persistência, vão ser realizados.

Faça planos de ano novo, mas siga-os realmente durante o ano; não os guarde numa gaveta depois do carnaval. É difícil e você precisa constantemente se lembrar do quanto estava empolgado em janeiro, para seguir persistente em setembro. Faça listas, cumpra os seus desejos e, caso não dê tempo de cumprir todos, mande-os pro próximo ano (mas cumpra o máximo que puder).

Não espere por companhia: às vezes, a melhor companhia é você mesmo;
Não negue convites pra sair: você pode até achar que vai ser chato, mas às vezes o esforço de sair do sofá te dá um monte de gente pra chamar de amigo;
Vá a lugares novos, mesmo que seja na sua região;
Fotografe, filme, desenhe, escreva sobre o que você viveu;
Dê valor a todos os dias, desde a quinta-feira sem nada pra fazer até o feriado em outra cidade;
Carregue sempre uma boa trilha sonora pra ser pano de fundo do seu 2015.

Acredite. Não é impossível. Faça o próximo ano valer a pena. Permita-se.

Depois de um final de 2013 totalmente turbulento, posso afirmar com todas a letras: consegui viver o melhor ano da minha vida.


Meu nome é Mariany, tenho 20 anos e todos os sonhos do mundo.



Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

14 comentário (s)