Guia de sobrevivência fora do bairro

28/05/2015

Já ouvi muita gente negar rolê porque não sabe chegar no lugar. Mesmo que eu insista, prometa chocolates e 1 garrafa de bud, dê oito opções de ônibus e até chame pra dormir aqui em casa na volta, tem pessoa que parece que vai morrer se sair do bairro onde mora.

Há muito tempo, eu ficava muito insegura em ir pra lugares desconhecidos, ainda mais sozinha. Porém, quando percebi que estava me privando de um monte de aventuras e momentos legais, parei com a neura. Tem gente que me chama de louca, mas não ligo muito (Mutantes feelings). 

UFSC - Floripa/SC

Não tenho uma lista de lugares idos infinita, como muita gente que tem blog por aí, mas fiquei surpresa ao ouvir do meu vô a seguinte frase: "essa menina já conheceu mais lugares com 20 anos do que eu, com 80". Isso me deu um gás muito grande pra continuar essa jornada de lugares desconhecidos, porque se até meu avô tava achando maneiro, por que me negar?

Já fui pro Rio de Janeiro com 28 reais na carteira (detalhe: eu moro em Santos/SP), confiando no Tadeu, que disse que me esperaria na rodoviária; fui pra Florianópolis sem saber onde era a casa da minha amiga, segura do pedaço de papel amarelo que eu carreguei na carteira, informando os ônibus que eu deveria pegar e o ponto que eu deveria descer; inúmeras vezes já fui pra Bertioga só com a grana da ida, porque Cassio ia pagar a volta; fora todos os rolês aqui na cidade/redondezas que eu não fazia a menor ideia de como chegar e cheguei (e voltei viva!). Com ou sem companhia, eu me permito viver todas essas experiências. 

Pedra do Arpoador - Rio de Janeiro/RJ

FUI PARAR NA RUA ERRADA

Migos, não há motivo pra pânico. Entrar em uma rua desconhecida não vai te fazer ficar preso nela pra sempre, como num filme de terror ou coisa parecida. O máximo que vai acontecer é você pedir informação pra algum tio da padaria ou moça da lanchonete e pronto, você logo estará na avenida certa. 

Uma vez, me perdi em São Paulo com dois amigos. SÃO PAULO CITY, isso mesmo. A gente deixou nossas coisas no hostel e foi procurar uma padaria pra comer. Na hora de voltar, resolvemos pegar outro caminho. Resultado: 2 horas andando pela Vila Madalena, 1 chinelo arrebentado e mais fome do que antes. 

O importante é que você sempre vai se encontrar. Pode demorar o tempo que for, mas 1) você não vai parar em Silent Hill e 2) vai ter história pra contar.

Capão Redondo - São Paulo/SP


PEGUEI O ÔNIBUS ERRADO

Se o problema é pegar ônibus e parar no lugar errado, peça informação pro motorista. Caso você esteja num nível de desespero arrebatador, basta continuar no veículo até o mesmo voltar pro lugar onde você pegou ele. Se o ônibus estiver indo pra garagem, lembre-se que a garagem não é um lugar inabitado, no meio do deserto do Novo México. Lá tem pessoas que falam e sabem onde estão. Pergunte.

aeroporto de Guarulhos/SP

orquidário - Santos/SP

Mercado Municipal - São Paulo/SP

Forte São João - Bertioga/SP

na estrada - Araçatuba/SP

show do Muse no Lollapalooza | autódromo de Interlagos - São Paulo/SP

Praia de Barra do Una - São Sebastião/SP

Santo Antônio do Pinhal/SP

estação da Luz - São Paulo/SP

Campos do Jordão/SP

praia de Icaraí - Niterói/RJ

praia do Embaré - Santos/SP

 Bolsa Oficial do Café - Santos/SP

Jardim Botânico - Rio de Janeiro/RJ

praia do SESC - Bertioga/SP

show da Pitty | praia do Indaiá - Bertioga/SP 

praia das Conchas - Guarujá/SP

Corcovado - Rio de Janeiro/RJ


Se você ainda tem medo de sair de casa por causa desses detalhes, comece com pequenas descobertas. Chame alguém pra fazer um picnic num lugar diferente, na sua própria cidade. Comece a aceitar os convites de passeios mesmo sem saber como vai fazer pra voltar (você vai voltar, acredite em mim). E o principal: passe a viajar mesmo sem companhia, porque se você mesmo não apreciar a sua presença, quem vai apreciar?

Você poderá gostar também:

27 comentário (s)

  1. Ai gente, você já foi pra Campos do Jordão ♥♥♥ Acho tão lindo esse espírito aventureiro de fazer sem se preocupar. Quero ser igual você um dia Manie! :3 O máximo que posso fazer é me arriscar em ônibus linhas e caminhos diferentes entre casa/trabalho, por causa da minha mãe. hauhsuahs' Mas um dia vou ser assim, desse mesmo jeito.

    Beijos, Sel | Quinta Gaveta ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. simmm! fui em 2010!
      você consegue, sel! sei que nossos pais ficam preocupadissimos, mas é só dar um sinal de vida e tá tudo certo :3

      Excluir
  2. ahaha adorei!
    Eu sou uma dessas pessoas que tem medo de sair por não saber muito bem o caminho, mas as vezes me dá a louca e eu vou. é raro, mas acontece.
    Esse post me deu mais vontade de conhecer outros lugares. Adorei!
    Beijosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não tenha medo, paloma! com o tempo você consegue fazer isso com naturalidade :D

      Excluir
  3. Sempre que eu saio pra um lugar diferente minha mãe fica falando "mas você não conhece lá", "cuidado pra não se perder" e tal. Daí eu sempre falo pra ela que não tem problema, é só pedir ajuda pra alguém, seja o motorista, o cara da banca de jornal, que sempre alguém vai te ajudar.
    O que não pode é ficar em casa com medo haha.
    Beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a gente nasceu sem conhecer nenhum lugar. se a gente não se propõe a conhecer, a gente nunca vai conhecer! hahaha

      Excluir
  4. Já fui beeem mais perdida, mas hoje em dia, com a ajudinha básica do Google Maps, ninguém me segura! Hahaha!

    ResponderExcluir
  5. Você me inspirou de uma maneira tão legal com esse post, por que confesso que um tempo atras eu tinha medo até de andar nas redondezas do meu bairro! Bobagem total! Já fiz uma lista de lugares aleatórios da minha cidade que eu quero conhecer, e quer saber? Eu vou. "Com ou sem companhia, eu me permito viver todas essas experiências."

    Seu blog é cadastrado no bloglovin? É que eu uso ele como feed, e quero acompanhar seu blog ♥
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bobagem mesmo, joyce! que legal que mudou de ideia :D
      olha, sabe que eu não sei... vou olhar esse negócio do bloglovin.

      Excluir
  6. Que post lindo, que fotos lindas, que tudo lindo! hahaha Precisei comentar só pra dizer que achei a sua foto na praia das conchas tão "olha o cajado" da JoutJout hahahah
    Eu morria de medo de sair assim, sem rumo, até o dia que me perguntei "medo de quê, minha deusa?" e saí. E ainda bem que saí, porque hoje não quero mais parar! <3

    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. foi a intenção, carol!! hahahaha
      quando postei essa foto no facebook, legenda foi 'OLHA O CAJADO!"

      Excluir
  7. Eu não tenho problema algum em sair pra locais desconhecidos e tal. Só não gosto mesmo é de badalação porque me dá nos nervos, tenho agonia, hahahaha Agora... me aventurar, me perder... supimpa! Sou super perdida, então isso não é novidade pra mim. Basta achar um roteirinho legal, ter sempre água e algo de comer na bolsa e BORA. \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. algo pra comer é importantíssimo hahahahaha

      Excluir
  8. Ai cara, lembro de já ter te falado isso em outro comentário, mas eu te acho uma pessoa tão massa garota!
    Tenho uma sensação muito boa relacionada a você, sinto umas coisas leves quando leio seus posts sabe? Acho muito bonito o modo como você leva tudo e esse post é mais que tudo um ótimo exemplo do que eu estou falando.

    Novembro Inconstante

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fico feliz demais com esses comentários, vc não sabe o quanto, tati! ♥

      Excluir
  9. Isso aí <3
    Tem que se jogar no mesmo mesmo, minha filha. Se vc não fizer isso, quem vai fazer por você?
    Agora é minha vez de fazer isso. Dia 5 tô aí *-*

    ResponderExcluir
  10. Que post maravilhoso porque é exatamente isso.
    Fui descobrindo o RJ por necessidade, era do tipo de pessoa que sempre foi muito curiosa, pero sempre teve muito medo de conhecer lugares novos sozinha. Se errar o ônibus, não achar a rua?
    Como você fui vendo o quão maravilhoso é o desconhecido que hoje conheço o Rio todo e ADORO encarar um destino desconhecido sozinha mesmo. Comprar passagem (de bus ou aerea) de supetão e ir, sem pensar muito mesmo.

    Quinta passada, por exemplo, me apareceu um compromisso maravilhoso em SP (onde nunca havia ido), sendo que precisava ir pra Volta Redonda antes, aqui no Rio (que também nunca havia ido). Na sexta tava no ônibus rumo VR, rumo SP. Com cara e coragem você chega lá, e ama!

    Me deliciei e me encontrei muito nesse post rs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. também fui aprendendo a me locomover aqui em santos por necessidade. meu pai nem sempre podia me levar nos lugares e eu nunca gostei de pedir esse tipo de favor. sempre acreditei que eu podia pegar um onibus se problema algum.
      acho que isso contribuiu muito pra eu sair por aí sem medo de me perder!

      <3

      Excluir
  11. melhor coisa pra se fazer na vida é ver o mundo! e a melhor coisa de se fazer no mundo é se perder por aí (e dá pra fazer isso até em eslovaco... creia!)

    ResponderExcluir
  12. Que delícia de post! Quando eu não sei chegar num lugar, combino com alguns amigos de ir junto, porque aí mesmo que eles também não saibam estaremos juntos e tudo fica mais fácil; ou pelo menos rende boas risadas. E esse lance de ir mesmo não sabendo como vai voltar é verdade, a gente sempre volta rs
    Bjs
    http://carolinebitti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, caroline! o importante é não deixar de ir :D a gente sempre volta.

      Excluir
  13. baa, esse espírito de Alexander Supertramp *.* Eu não costumava viajar, mas esse ano estou me aventurando um pouco e de fato é uma maravilha rs Aproveitamos nosso tempo, né LOL

    Que venham mais viagens para nós :D Aproveite seus dias :D
    xoxo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. viajar é o melhor investimento que podemos fazer :3 boaS viageNS!

      Excluir
  14. Você não imagina o quanto esse post foi inspirador e incentivador para mim!
    Final de semana passado, eu estava no Rio e foi tão bom! Foi a primeira vez que viajei para fora de São Paulo e a sensação de conhecer um lugar novo, mas ter para onde voltar depois, é muito boa.
    Essa sua última foto mexeu demais comigo. Nós íamos no Corcovado, mas não soubemos como chegar de carro e acabamos ficando sem tempo. Mas quando eu for no Rio de novo, vou fazer de tudo para ir no Cristo e ver essa vista deslumbrante.
    Agora quero viver viajando!

    ResponderExcluir