Fim de semana num projeto maneiro

21/09/2015


Nesse fim de semana, fui chamada pra participar do projeto "De Olho na Terra", que tem como objetivo aproximar jovens de assentamentos do MST da tecnologia. Em Rio Negrinho, norte de Santa Catarina, foi inaugurado em 2013 um telecentro, dentro do assentamento de Butiá, onde é possível ter acesso à internet e a várias oficinas culturais. Nos dias em que eu estive lá, foram dadas oficinas de vídeo - filmagens de um documentário e um vídeo clipe que os próprios jovens estão produzindo - e de muralismo.

Pra mim, foi uma experiência bem diferente. Meu pai tem família lá no litoral norte de SP, Barra do Una, e acampar com eles durante a infância foi o mais distante da cidade que eu já havia chegado. Depois de conhecer um pouco do modo de vida dos agricultores de Butiá, 3 Rosas e Araquari, vi de verdade como é manter uma vida próxima à natureza, produzindo o que se consome em mesa e o mais legal: livre de agrotóxicos.

Os vídeos gravados tinham como tema base a agroecologia, sistema de plantação sem uso de veneno, utilizado pela população dos assentamentos. Uma das agricultoras mencionou que uma das formas de evitar pragas na plantação é deixar sucos de frutas bem doces abertos no campo. Assim, os insetos são atraídos para essa mistura ao invés de se direcionarem aos alimentos no solo. Achei isso muito criativo, cara.

Tentei registrar alguns detalhes dessa viagem pra mostrar como é diferente a vida dos grandes centros urbanos pra vida que eles levam no campo, ressaltando a importância de projetos como esse para unir as duas realidades. E, claro, mostrar que o que a mídia insiste em deturpar é muito mais avançado e civilizado do que as pessoas imaginam. 






 











| RIO NEGRINHO/ARAQUARI, SC | 19.09.15/20.09.15 |

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

3 comentário (s)