Uma prévia sobre transição capilar

27/11/2015

Se eu for contar todas as vezes que eu tentei abandonar a química acho que posso escrever um livro. Realmente perdi as contas. Algumas dessas tentativas duraram uma semana, outras mais de três meses, mas eu acabava me rendendo ao alisamento.

Pela primeira vez, sinto que a minha transição capilar está acontecendo pra valer e a vontade de falar sobre isso é imensa. Tive sorte que a penúltima química que eu passei (selagem) não tirou completamente a forma do meu cabelo natural, que é cacheado. E a última, que foi um relaxamento feito em casa (sim! yo soy rebeldeeeeeee) há quase 4 meses, praticamente não fez nem cosquinha no meu cabelo. Mesmo assim, andei fazendo umas besteiras, como cortar franjinha, então não tá sendo tão simples assim, mas vou contar depois. 

1ª foto: quando eu inventei de virar emo, em agosto, aos 21 anos e cortei franja (detalhe: cortei mais uns 3 dedos alguns dias depois, risos) | 2ª foto: meu cabelo no início de outubro.
Obs: é importante definir que 1) na primeira foto eu praticamente não respirei/nem tomei vento pra que ele ficasse com essa carinha impecável, então era tudo mentira e 2) na segunda foto ele está aparentemente todo natural porque eu dou meus jeitos e tenho meus paranauês, mas, como eu disse, ainda estou em transição.

Não se trata apenas de gastar menos dinheiro com química, mas de uma quebra de padrões que sempre me aprisionaram, desde criança. Assumir seu cabelo quando ele não é liso - ou não tem aquelas ondas de comercial de shampoo que muita gente insiste em chamar de cabelo cacheado (???) -, é acima de tudo um ato revolucionário. É a sua autoestima, a sua relação com o mundo ao seu redor e consigo mesma que está em jogo quando você decide passar por isso. 

Gostaria de falar sobre esse assunto em vídeo, mas como a ansiedade é grande, resolvi postar essa prévia pra vocês. É tanta coisa que eu quero dizer! Uma vez abordei o tema e muita gente se interessou, então creio que eu possa ajudar mais pessoas. Só tô esperando meu cartão de memória chegar pelo correio, porque o Tadeu fez o lindo favor de levar embora com ele pro RJ. 

Enquanto o meu vídeo não sai, vou deixar aqui um canal que tem me inspirado muito. É uma raridade, quando falamos de youtube, encontrar pessoas falando sobre o assunto de maneira tão real e sem aquela idealização/desespero pelo cabelo capa de revista. É difícil pra alguém que está em transição capilar não se deparar com vídeos em que as meninas lutam pelos cachos perfeitos e gastam horrores/ganham mil produtos pra passar no cabelo, fazem duzentos cronogramas capilares, usam produto pra crina de cavalo e sei lá mais o quê. Não sei elas - pois tem toda a liberdade pra fazer o que acharem melhor e não cabe a mim apontar o dedo -, mas eu não estou disposta a sair de uma prisão que era alisar/escovar/passar a chapinha para entrar em outra. Eu quero é liberdade. 

Manie
Estudante de jornalismo, escritora por amor e professora nas horas vagas. Tenho 22 anos, moro em Floripa com meu companheiro e tento ver graça nas coisas simples do dia-a-dia.

Você poderá gostar também:

4 comentário (s)