Retrospectiva 2016

28/12/2016

Esse ano não foi dos melhores, mas a gente se esforçou, hein? Aliás, ainda estamos aguentando firme, afinal ainda é dia 28 e o acúmulo de acontecimentos ruins está crescendo em progressão geométrica e desembocando todo no último mês do ano. Sei que não faz muito sentido botar fé em datas delimitadas pelo calendário, mas confesso que estou receosa de acordar no ano novo e ser dia 32 de dezembro.

Arpoador, RJ | outubro
Um amigo meu me disse uma vez que eu sempre vejo esperança onde não tem. O mundo tá caindo ao meu redor e eu tô catando motivos pra seguir em frente. A razão que me motiva a ser assim eu não sei de onde vem, só sei que isso me faz bem e de alguma forma contagia quem convive comigo. Então, como dizem meus amigos de Floripa, vamo dale.

fui morar em uma pensão de estudantes e esse foi o primeiro chá que tomei lá | fiz uma disciplina incrível chamada História da América Independente

tomei cerca de 400 xícaras de café | dormi um número incontável de vezes na grama da UFSC

li 5 HQs e 6 livros | assisti Meninas Malvadas ao ar livre, na universidade

comemorei meu primeiro aniversário longe da família, mas, em compensação, tive duas surpresas

o Vini me visitou em Floripa duas vezes

 participei à distância do aniversário do meu irmão | fui em uma festa à fantasia e não gastei nada com a minha caracterização

vi meu namorado se formar | vivi o inverno mais frio da minha vida

a Bianca foi a pessoa mais topzera que conheci este ano e juntas fizemos muitas jantinhas

fui pro Rio de Janeiro visitar meu irmão mais velho

passei o segundo semestre inteiro estudando pro vestibular da USP, porque quis tentar ficar mais perto da família, mas não passei | em compensação, consegui meu primeiro estágio em jornalismo e nem sei explicar o quão incrível tá sendo trabalhar com essas pessoas

***

Não há nada mais angustiante do que se sentir incapaz diante de tanta coisa ruim acontecendo ao mesmo tempo. Diante disso, fico pensando no quão importante é ser grato a si mesmo por persistir diante desse mundo descontrolado. A gente se agride demais, mas esquece que tamo no meio disso tudo apanhando da vida também. Sobreviver a gente até sobrevive, mas encontrar força em meio ao caos é o que nos move. 

Aprendi na marra que as coisas que me deixam feliz nem sempre dependem só de mim para acontecer e tá tudo bem; vai ter dia que não vou estar com vontade de sorrir e também vai estar tudo bem; os momentos bons que vivi esse ano não serviram pra me fazer chorar de saudades quando passaram, mas me dar esperança de que momentos bons ainda existem e surgem quando a gente menos espera. 

Estou convicta de que vou começar o ano bem equilibrada mas que em breve terei meu primeiro momento ruim, como rege a vida. E, mais uma vez, vai estar tudo bem. Já tô cansada de saber que a vida não é um gráfico linear, mas um rabisco todo bagunçado, então não sei porque às vezes ainda me surpreendo com as quebras de equilíbrio emocional que vivencio. Tudo bem querer dar uma choradinha e tudo bem querer rir até a barriga doer e ambas as coisas vão se repetir e se misturar até o dia em que eu não estiver mais aqui.  

Vivo cercada de pessoas que me auxiliam a continuar minha caminhada e tenho orgulho de tê-las em minha vida. Mas, antes de qualquer pessoa, sou grata a mim mesma por ter sido a minha melhor amiga este ano. Não sou tão zen como gostaria, mas realmente foda-se, sabe? Eu sou ótima. Você também é. Vamo dale. 

Você poderá gostar também:

5 comentário (s)

  1. Eu acompanho seu blog desdo ano passado e adoro aqui, lembro da sua retrospectiva de 2015 e é legal ver como você evoluiu como pessoa, não só você, mas todos nós, Manie! Um ótimo 2017 cheio de energias positivas para você! <3

    ResponderExcluir
  2. Passo aqui sempre! Obrigado por compartilhar coisas boas!

    ResponderExcluir
  3. Toda vez que penso em reclamar de 2016, vejo que estou fazendo besteira diante de tanta coisa ruim que está acontecendo por ai e eu continuo aqui, bem, com algumas metas realizadas e momentos bons para contar.

    O que nos resta é sermos mesmo confiantes, catar motivos para seguir em frente, e tentar contribuir de alguma forma pela maior empatia. Ajudar alguém que precisa, fazer uma boa ação, propagar o amor e nos preencher de bons pensamentos.

    Adorei seu texto (como sempre rs).
    Que seu 2017 seja lindo <3

    ResponderExcluir